Festival de Cannes,

MEU QUERIDO FILHO | Filme tunisiano já tem trailer e data de estreia!

"Meu Querido Filho" - o mais novo drama do diretor tunisiano Mohamed Ben Attia - tem estreia comercial marcada para 03/01/2019. O filme conta a história do sumiço de um jovem que sofre de enxaqueca constante, porém desaparece quando parece estar melhor.

>>> Clique AQUI para assistir o trailer!


Ben Attia
revela que o ponto inicial da história surgiu de um relato que ouviu em uma rádio: “Relatos de pais que estavam à procura dos filhos que tinham se juntado ao Estado Islâmico estavam começando a se espalhar nas rádios, na televisão, nos jornais. Infelizmente, tornou-se quase que comum. Um dia, ouvindo um pai falando sobre sua história, realmente me afetou. Ele continuava repetindo: ‘meu filho’. Eu rapidamente percebi que o que me interessou mais não foram as razões que fizeram o filho sair, mas o ponto de vista dos que ficaram atrás: os pais dele que não viram isso chegando”, revela.

Para Ben Attia, o pilar do longa é o chefe de família, Riadh (Mohamed Dhrif), que considera que a felicidade é cuidar de sua casa, ir trabalhar e ganhar o pão de cada dia. “É o que ele imagina também para o filho. Porém, tudo entra em colapso quando ele se aposenta e o jovem some”, diz. Ben Attia conta ainda que o maior desafio do projeto era não cair no óbvio. “O mais difícil foi tentar não cair maniqueísmo previsível: permanecer sutil e delicado. Eu queria evitar a opção óbvia de uma imediata condenação, mesmo que seja completamente legítima. Eu queria ir além do nível superficial do ódio, de raiva, embora, mais uma vez, seja completamente compreensível esse sentimento”, completa.

Com distribuição no Brasil via Pandora Filmes, o filme teve sua estreia mundial no Festival de Cannes, em maio de 2018, e foi muito bem recebido pela crítica.

Fonte: Pandora Filmes (via press-release)

0 comentários:

animação,

CRÍTICA [CINEMA] | "Homem-Aranha no Aranhaverso", por Kal J. Moon

Dirigido por Bob Persichetti, Peter Ramsey e Rodney Rothman, com as vozes originais de Chris Pine, Nicolas Cage, Hailee Steinfeld, Mahershala Ali, Liev Schreiber com participação especial de Oscar Isaac e Lily Tomlin, "Homem-Aranha no Aranhaverso" é o novo filme de um Homem-Aranha bem diferente do que conhecemos...

"O que aconteceria se...
...fizessem um longa-metragem de animação que, na verdade fosse um gibi em movimento?" Deve ter sido está a proposta para convencer a produção que "Homem-Aranha no Aranhaverso" deveria existir um dia.

A verdade é que a distribuidora Sony Pictures tem os direitos do super-herói Homem-Aranha e sua imensa galeria de personagens mas há algum tempo que não emplaca um sucesso de crítica e público com filmes neste ~"universo" desde a saída do cineasta Sam Raimi após o lamentável filme "Homem-Aranha 3" - sim, aquele com o "Emo-Aranha".

Mas 2018 parece ter sido o ano da segunda chance para a Sony, uma vez que o filme live-action "Venom" tornou-se um grande (e inesperado) sucesso de bilheteria e público - mesmo que grande parte da crítica especializada (menos nós!) tenha descido a lenha no filme estrelado pelo vilão do Amigão da Vizinhança. E o que dizer dessa animação "Homem-Aranha no Aranhaverso"? Que bom que perguntou.

Na trama, Miles Morales é um jovem afrodescendente, filho de um policial, que é mordido por uma aranha radioativa e acaba presenciando a morte do Homem-Aranha. Por conta de um esquema engendrado pelo Rei do Crime - sim, aquele vilão do seriado "Demolidor" (Netflix) foi criado originalmente para ser arqui-inimigo do Aranhoso -, acaba abrindo um portal onde várias versões do Homem-Aranha acabam indo parar neste universo. O problema é que o plano do Rei do Crime pode destruir toda a cidade onde vivem, caso a máquina utilizada não seja destruída a tempo...

Pra começar, é uma das animações com o visual mais elaborado que se tem notícia nos últimos 20 anos. Tudo funciona, organicamente, como se utilizasse efeitos de rotoscopia - técnica que consiste em fotografar os movimentos do elenco para emular maior fluidez no processo de animação -, criando algo único e, ainda assim, lembrando muito o que se vê numa história em quadrinhos. Inclusive alguns ângulos nada usuais em animações mas bem familiar para quem lê aquele gibi maroto. É um filme bem moderno e arrojado, com uma cinematografia coerente e ousada. Cada personagem tem um tipo de movimentação diferente - repare na Spider Gwen! Que visual LINDO!

Pra completar, o elenco original de dubladores dá um show: Chris Pine como um Peter Parker loiro (?), Jake Johnson como Peter B. Parker (um Homem-Aranha de 40 anos e com uma vida bem enrolada), Shameik Moore como um esperto Miles Morales, o ganhador do Oscar Mahershala Ali como o Aaron (tio de Miles - e um pouco mais), Nicolas Cage está hilário como o Homem-Aranha Noir (uma versão anos 1940 do Escalador de Paredes), igualmente hilário (e bizarro) está John Mulaney como o Porco-AranhaHailee Steinfeld está bacana como Gwen Stacy (ou Spider Gwen ou Spider Woman, como é chamada no filme), Lily Tomlin é uma Tia May badass bem interessante, Liev Schreiber (que já foi o vilão Dentes de Sabre na trilogia original dos X-men nos cinemas) interpreta um convincente e obcecado Rei do Crime e Oscar Isaac, bem, ele interpreta algo hilário mas que seria um senhor spoiler dizer, uma vez que faz parte da cena pós-crédito, que literalmente dá vida a um famoso meme do Homem-Aranha e fará todo mundo rir...

Além disso, tem a (talvez) mais emocionante participação de Stan Lee - roteirista cocriador do Homem-Aranha original -, sua fala tem um peso diferente ainda mais agora que ele não está mais entre nós. Também tem uma certeira homenagem a Steve Ditko (cocriador do Homem-Aranha original, que também nos deixou em 2018).

A animação ainda possui um bilhão de referências para fãs de todas as idades - os mais ardorosos vão certamente se emocionar. Isso sem contar que o roteiro escrito por Phil Lord e Rodney Rothman reserva espaço para cenas dramáticas que reinventam o mito do Escalador de Paredes de forma adequada para os novos tempos. E é bem curioso que uma animação com personagens da Marvel Comics se utilize tão bem do conceito de múltiplos universos - algo que é uma característica do universo da DC Comics e está sendo utilizado com sucesso absoluto na TV...

(Devo dizer que, infelizmente, algumas cenas dramáticas são um tanto repetitivas e o roteiro ainda se permite, erroneamente, em criar seu próprio "com grandes poderes vêm grandes responsabilidades", martelando a nova frase de impacto a cada 15 minutos durante a projeção, atrasando, em muitos momentos, a progressão da história)

O longa também possui uma vigorosa trilha sonora composta por Daniel Pemberton, misturada a clássicos do funk, rap e novas batidas hip-hop.

"Homem-Aranha no Aranhaverso" é diversão para toda família e porta de entrada para novos fãs, com valores apropriados que todo mundo deveria seguir. Obrigado, Sony, por mostrar novamente como se faz um bom filme de super-heróis. Em uma palavra? Espetacular!




Kal J. Moon assistiu com olhos marejados, pensando em como seria bacana assistir um filme do Super-Choque..
.

0 comentários:

Cinema do Brasil,

CRÍTICA [CINEMA] | "Minha Vida em Marte", por Kal J. Moon

Dirigido por Susana Garcia, estrelado por Mônica Martelli e Paulo Gustavo, "Minha Vida em Marte" mostra que depois do fim do amor, só resta... O humor!

Transa louca...
Mesmo que exista um grande público interessado nas comédias produzidas pelo cinema brasileiro, parte da crítica e do público tem ojeriza somente de ouvir falar neste gênero sendo executado por artistas tupiniquins. A grande verdade é que esses filmes fazem parte do tripé que sustenta o cinema brasileiro desde os tempos de Oscarito, passando por Mazzaropi, Os Trapalhões e chegando à trupe atual de comediantes que permitem que uma grande parcela do público sinta vontade de assistir um filme produzido no país em que vive.

Dito isto, não se pode negar que "Minha Vida em Marte" - continuação de "Os Homens São de Marte", ambos baseado nas peças teatrais homônimas igualmente escritas por Mônica Martelli - tem seus méritos e também apelo junto ao público que aprecia este tipo de filme (mesmo com os muitos problemas que apresenta).

Na trama, Fernanda (Martelli) está casada com Tom (Marcos Palmeira) e tem com ele uma filha de 5 anos. O casal está em crise e vive os desgastes e as intolerâncias da rotina do casamento, mas Fernanda tem o apoio incondicional de Aníbal (Paulo Gustavo), seu sócio e companheiro inseparável que está ao seu lado durante toda a jornada para resgatar seu casamento - ou acabar de vez com ele. Aníbal é o ombro amigo para desabafos e um parceiro para todas as horas.

Primeiro, vamos falar dos acertos. Paulo Gustavo parece bem à vontade interpretando aquele tipo de personagem que ele adora interpretar - ele mesmo, claro! -, dividindo o protagonismo com Mônica Martelli, mesmo que ela - apesar de equilibrada numa personagem que tem muito mais oportunidades dramatúrgicas do que se espera numa comédia mas entregando exatamente o que se espera nessa experiência - pareça, em muitos momentos, coadjuvante num filme estrelado por Paulo Gustavo... A mistura de verves cômicas, no entanto, demora a se equilibrar mas funciona bem no conjunto geral.

A direção de fotografia - comandada por Rodrigo Carvalho - é funcional (mesmo que exagere no uso de dromedário para passar muitas tomadas aéreas) porém sem a menor ousadia (possivelmente fosse exatamente essa a intenção). A montagem também é ágil - a sequência inicial (que serve como atualização para quem não viu o filme anterior) é lúdica e explicativa na medida certa.

Agora, os problemas. O principal é o roteiro, escrito por CINCO pessoas - Mônica Martelli, Paulo Gustavo, Susana Garcia, Emanuel Aragão e Julia Lordello -, onde diversas situações e cenas parecem divididas entre o improviso e algo previamente planejado, resultando num texto pouco inspirado em diversos momentos e rendendo algumas oportunidades perdidas rumo ao bom humor.

(Existe uma cena bem específica, onde os protagonistas estão em Nova York preocupados com o valor que já gastaram na viagem, que serve apenas para fazer um comercial descarado de uma companhia aérea. OK, tudo bem colocar algo discreto em cena - como o avião da companhia, que aparece quando eles estão indo para os Estados Unidos - mas não precisa se vender por tão pouco, causando vergonha alheia no público, né?)

Mesmo sem dar spoiler, uma cena específica durante uma festa - que se revela, na verdade, um encontro de praticantes do "swing"- teria rendido ótimas piadas visuais e textuais se a protagonista resolvesse "encarar" com ousadia aquela nova experiência a despeito do desespero de seu melhor amigo. O que não se sabe é como foram parar lá pois o roteiro nem se preocupa em explicar...


O filme ainda conta com (rápidas) participações especiais de Ricardo Pereira, Fiorella Mattheis e Heitor Martinez - até mesmo Marcos Palmeira é apenas uma participação especial com um pouco mais de falas que o restante - que, se não acrescentam muito à trama, também não comprometem. Já todas as cenas com uma certa cantora brasileira - que faz muito sucesso entre o público jovem - são completamente descartáveis e não fariam a menor falta se fossem limadas da trama.

Ainda sobre esticar cenas desnecessariamente, o final parece ~"parar" umas boas três vezes até decidir encerrar de vez, como se esquecessem que havia mais uma cena - mesmo que totalmente dispensável a acrescentar.

Embora tenha a maior cara de ~"cinema de auto-ajuda" - linguagem herdada diretamente da peça teatral - e tenha como foco principal o público feminino (uma vez que vemos a história inteiramente sob o ponto de vista da protagonista), é uma diversão leve, saudável e que rende muitas boas risadas num fim de semana a dois.




Kal J Moon esbarra nas pessoas enquanto caminha e pede "I'm sorry". Todos o olham como se ele fosse retardado...

0 comentários:

Amber Heard,

CRÍTICA [CINEMA] | "Aquaman", por Andreas Cesar.

A minha expectativa para "Aquaman" era baixa. Muito baixa, para falar a verdade. Dos trailers e teasers, nada me agradava, fazendo-me ir assistir o filme com muitas dúvidas e nenhum ânimo. Porém, com poucos minutos de filme minhas expectativas foram superadas e eu mergulhava numa história muito boa e divertida. 

Não vou mentir, conhecia pouco da história do Aquaman. Li poucas revistas em que ele era o principal, e na maior parte das vezes ele apenas aparecia de fundo em quadrinhos como Reino do Amanhã e Flashpoint. Assim, tive que buscar base nas HQs que o filme se baseou para me aprofundar um pouco mais no personagem, o arco do personagem nos Novos 52, escrito por Geoff Johns e desenhado por Ivan Reis (recomendo que quem não conhece o personagem faça o mesmo, conseguiu me fazer conhecer mais da sua origem e afins). 

O filme começa com a origem do personagem, contada de modo rápido e sucinto, como deve ser (já estou cansado de filmes que demoram 2 horas apenas contando como o fulano de tal virou um super-herói). Em poucos minutos somos apresentados ao plot principal da trama e aos minoritários, sendo inseridos no roteiro rapidamente. Ainda que pareça apressado no início, isso não incomoda a trama, já que são muitas as informações e depois o filme relaxa um pouco nesse aspecto. Não vou falar muito mais para não estragar a experiência daqueles que não assistiram o longa.


Quanto às atuações, são excelentes. Jason Momoa traz um Arthur Curry carismático e, sem dúvida, não me importei que ele não parecia com o dos gibis. A Mera de Amber Heard também é uma personagem interessante, com importante papel na trama do filme. Merecem destaque os atores Willem Dafoe (um dos meus atores preferidos) e Patrick Wilson, que atuam incrivelmente no filme. Além das atuações, os subtramas bem amarrados e a cena pós-crédito me deixaram ansioso com o próximo filme do herói. O único ator que eu esperava mais foi Yahya Abdul-Mateen II, que atuou como Manta Negra, mas acho que isso pode ter sido pelo pouco tempo de tela do personagem.

Já no que tange aos efeitos especiais, o filme não desaponta. Os animais marinhos são perfeitos e muito críveis, os lasers e explosões criados pelo Manta Negra são realistas e todo o mais convence. A edição e a mixagem de som são muito boas, fazendo o espectador entrar no mundo de Arthur Curry no cinema. A fotografia do filme mostra ângulos em panoramas muito belos ao longo do filme, o que é muito bom. Por fim, a direção de James Wan foi boa e coesa.

Sendo assim, "Aquaman" é um longa que superou minhas expectativas mostrando que a DC continua firme nos cinemas. Anseio por mais filmes desse nível vindos da DC, que vinha decepcionando nos últimos anos.


Andreas Cesar assistiu, criticou e adorou ouvir Greta Van Fleet no bar que Aquaman frequenta!

0 comentários:

Anna Diop,

NÓS | Filme com Lupita Nyong’o e Elizabeth Moss já tem cartaz e data de estreia

As premiadas Elizabeth Moss e Lupita Nyong’o juntam-se a Jordan Peele - ganhador do Oscar de Melhor Roteiro por "Corra!" - para trazer aos cinemas um novo thriller, provocativo e repleto mistério: “Nós” ('Us'), que acaba de ganhar o primeiro cartaz. Confira:
Cartaz oficial (Divulgação)
Em parceria com a Blumhouse Productions e Jason Blum, o longa é mais uma produção da mente visionária de Jordan Peele, que assina direção e roteiro. Na história, um casal leva os filhos para passar um final de semana na casa da praia esperando curtir um momento em família. A tranquilidade da viagem é interrompida quando visitantes não convidados aparecem instaurando o caos.

No elenco, Moss e Nyong’o atuam com Anna Diop, Winston Duke, Tim Heidecker, Yahya Abdul-Mateen II, Evan Alex, Shahadi Wright Joseph, Madison Curry, Cali Sheldon e Noelle Sheldon. A estreia está marcada para 21/03/2019.

Fonte: Universal Pictures (via press-release)

0 comentários:

A Morte Te Dá Parabéns 2,

A MORTE TE DÁ PARABÉNS 2 | Sequência do terror ganha trailer, cartaz e data de estreia

Em parceria com a Blumhouse Productions, a Universal Pictures anuncia o lançamento do thriller “A Morte Te Dá Parabéns 2” ('Happy Death Day 2U'), que estreia em 21/02/2019. Foi divulgado um trailer inédito da produção assim como o cartaz nacional do filme. No elenco, estão Jessica Rothe, Ruby Modine, Israel Broussard, Rachel Matthews e Suraj Sharma.

>>> Clique AQUI para assistir o trailer
Cartaz oficial (Divulgação)
A sequência do longa, que levou mais de um milhão de pessoas aos cinemas brasileiros, mantém o mesmo tom de suspense e comédia do primeiro filme e acompanha a personagem Tree (Jessica Rothe) em mais uma empreitada. Na história, Tree descobrirá que morrer e voltar várias vezes seguidas era surpreendentemente mais fácil do que enfrentar os novos perigos que a aguardam.

Com produção da Blumhouse, o longa conta com direção e roteiro de Christopher Landon – também responsável pelo primeiro filme.

Fonte: Universal Pictures (via press-release)

0 comentários:

Awards 2019,

SAG AWARDS 2019 | Confira os indicados



Confira abaixo a lista com os indicados ao SAG Awards, premiação dada pelo sindicato dos atores estadunidense, SAG-AFTRA.

Além dos vencedores, será premiado o ator Alan Alda, pelo conjunto de sua obra. Alda é mais conhecido por seu papel na série de TV M.A.S.H., onde interpretava Hawkeye Pierce, protagonista do show que durou 11 temporadas, de 1972 à 1983.

A cerimônia de premiação será transmitida pelo canal pago TNT em 27 de janeiro de 2019.


CATEGORIAS DE CINEMA

MELHOR ATOR

  • Christian Bale - Vice
  • Bradley Cooper - Nasce uma Estrela
  • Rami Malek - Bohemian Rhapsody
  • Viggo Mortensen - Green Book - O Guia
  • John David Washington - Infiltrado na Klan


MELHOR ATRIZ

  • Emily Blunt - O Retorno de Mary Poppins
  • Glenn Close - A Esposa
  • Olivia Colman - A Favorita
  • Lady Gaga - Nasce uma Estrela
  • Melissa McCarthy - Poderia me Perdoar?


MELHOR ATOR COADJUVANTE

  • Mahershala Ali - Green Book - O Guia
  • Timothée Chalamet - Querido Menino
  • ADam Driver - Infiltrado na Klan
  • Sam Elliott - Nasce uma Estrela
  • Richard E. Grant - Poderia me Perdoar?


MELHOR ATRIZ COADJUVANTE

  • Amy Adams - Vice
  • Emily Blunt - Um Lugar Silencioso
  • Margot Robbie - Mary, Queen of Scots
  • Emma Stone - A Favorita
  • Rachel Weisz - A Favorita


MELHOR ELENCO

  • Nasce Uma Estrela
  • Pantera Negra
  • Infiltrado na Klan
  • Bohemian Rhapsody
  • Podres de Ricos


MELHOR ELENCO - DUBLÊS EM AÇÃO

  • Homem-Formiga e a Vespa
  • Vingadores: Guerra Infinita
  • The Ballad of Buster Scruggs
  • Pantera Negra
  • Pantera Negra
  • Missão Impossível: Efeito Fallout


CATEGORIAS DE TV

MELHOR ATOR - SÉRIE LIMITADA

  • Antonio Banderas - Genius: Picasso
  • Darren Criss - The Assassination of Gianni Versace: American Crime Story
  • Hugh Grant - A Very English Scandal
  • Anthony Hopkins - King Lear
  • Bill Pullman - The Sinner


MELHOR ATRIZ - SÉRIE LIMITADA

  • Amy Adams - Sharp Objects
  • Patricia Arquette - Escape at Dannemora
  • Patricia Clarkson - Sharp Objects
  • Penélope Cruz - The Assassination of Gianni Versace: American Crime Story
  • Emma Stone - Maniac


MELHOR ATOR - DRAMA

  • Jason Bateman - Ozark
  • Sterling K. Brown - This Is Us
  • Joseph Fiennes - The Handmaid's Tale
  • John Krasinski - Tom Clancy's Jack Ryan
  • Bob Odenkirk - Better Call Saul


MELHOR ATRIZ - DRAMA

  • Julia Garner - Ozark
  • Laura Linney - Ozark
  • Elisabeth Moss - The Handmaid's Tale
  • Sandra Oh - Killing Eve
  • Robin Wright - House of Cards


MELHOR ATOR - COMÉDIA

  • Alan Arkin - O Método Kominsky
  • Michael Douglas - O Método Kominsky
  • Bill Hader - Barry
  • Tony Shalhoub - The Marvelous Mrs. Maisel
  • Henry Winkler - Barry


MELHOR ATRIZ - COMÉDIA

  • Alex Borstein - The Marvelous Mrs. Maisel
  • Alison Brie - GLOW
  • Rachel Brosnahan - The Marvelous Mrs. Maisel
  • Jane Fonda - Grace and Frankie
  • Lily Tomlin - Grace and Frankie


MELHOR ELENCO - DRAMA

  • The Americans
  • Better Call Saul
  • The Handmaid's Tale
  • Ozark
  • This Is Us


MELHOR ELENCO - COMÉDIA

  • Atlanta
  • Barry
  • GLOW
  • O Método Kominsky
  • The Marvelous Mrs. Maisel


MELHOR ELENCO DE DUBLÊS - COMÉDIA OU DRAMA

  • GLOW
  • Demolidor
  • Tom Clancy's Jack Ryan
  • The Walking Dead
  • Westworld

0 comentários:

Cartazes,

SONIC - O FILME | Divulgado primeiro cartaz oficial do live-action

A versão live action do ouriço mais famoso do mundo acaba de ganhar o primeiro cartaz oficial. "Sonic - O Filme" ('Sonic The Hedgehog') é dirigido por Jeff Fowler. O longa traz ainda Jim Carrey - como o vilão Dr. Robotnik - e James Marsden no elenco. Confira o cartaz:
Cartaz oficial (Divulgação)

Produzido por Tim Miller - diretor de 'Deadpool' - e por Neal H. Moritz - produtor de 'Velozes e Furiosos' -, "Sonic - O Filme" chega aos cinemas em 2019.

Fonte: Paramount Pictures (via press-release)

0 comentários:

Cinema do Brasil,

MINHA VIDA EM MARTE | Comédia com Mônica Martelli e Paulo Gustavo tem data de estreia antecipada

O público que está ansioso pelas novas histórias de Fernanda (Mônica Martelli, foto) e Aníbal (Paulo Gustavo, foto) poderá conferir o novo longa da dupla, “Minha Vida Em Marte”, já a partir de 25/12/2018 em todas as capitais do Brasil. O filme estreia em pleno Natal e deve ocupar cerca de 800 telas. A classificação etária é de 12 anos.

Na continuação da franquia dirigida por Susana Garcia, Fernanda está casada com Tom (Marcos Palmeira) e tem com ele uma filha de cinco anos, Joana. O casal está em crise e vive os desgastes e as intolerâncias da rotina do casamento, mas ela tem o apoio incondicional de Aníbal (Paulo Gustavo), seu sócio e companheiro inseparável que está ao seu lado durante toda a jornada para resgatar seu casamento, ou acabar de vez com ele. Aníbal é o ombro amigo para desabafos e um parceiro para todas as horas. No elenco, estão ainda Ricardo Pereira, Heitor Martinez e Fiorella Mattheis. O filme tem roteiro final da própria Mônica Martelli, Paulo Gustavo e Susana Garcia.

Com distribuição da Downtown Filmes e Paris Filmes, produção de A Fábrica e Capri Produções, coprodução da Globo Filmes e apoio do Telecine e GNT, a produção é de Luiz Noronha, com produção executiva de Cecília Grosso e Samanta Moraes.

Fonte: Paris Filmes (via press-release)

0 comentários:

Bumblebee,

BUMBLEBEE | Spin-off de 'Transformers' tem nova cena divulgada

De volta à Califórnia dos anos 1980, "Bumblebee" - da Paramount Pictures - acompanha  a aventura solo do personagem da franquia de sucesso Transformers. Em cena inédita divulgada, a cumplicidade entre a personagem Charlie (Hailee Steinfeld, foto) e o Fusquinha está em pauta numa interação pra lá de divertida.

>>> Clique AQUI para assistir a cena!

Dirigido por Travis Knight (do bacana 'Kubo e a Espada Mágica'), o spin-off estreia nos cinemas em 25/12/2018. O longa é uma produção de Michael Bay e Lorenzo Di Bonaventura, contando ainda com o MITO John Cena no elenco.

Fonte: Paramount Pictures (via press-release)

0 comentários:

André Forni,

TAINÁ E OS GUARDIÕES DA AMAZÔNIA | Animação tem pré-estreia em canais pagos

Os canais pagos Nickelodeon e Nick Jr. - em parceria com a Sincrocine Produções - anunciam a pré-estreia exclusiva da série animada "Tainá e os Guardiões da Amazônia". Com 26 episódios, a animação em 3D é uma adaptação da trilogia de sucesso do cinema brasileiro que tem como protagonista a indiazinha Tainá que, junto de seus amigos, protege a Floresta Amazônica, sua fauna e flora. Dois episódios vão ao ar na sequência em 16/12/2018 às 19h em ambos os canais e a estreia oficial será em 05/01/2019, às 12h30 na Nickelodeon e, em fevereiro, na Nick Jr.

"Faz parte do DNA da Nick investir em animações que chamem a atenção da nossa audiência através de mensagens positivas que contribuem para uma sociedade mais consciente", afirma Jimmy Leroy, Vice-Presidente de Criação da Nickelodeon Brasil. "Ter este conteúdo desenvolvido localmente, celebrando nosso país e estimulando a proteção de nossa imensa diversidade, riqueza e cultura nos deixa ainda mais certos da entrega de um bom conteúdo para as crianças", completa.

Com investimentos oriundos do BNDES (Procult), FSA e do Artigo 39 da Ancine, a nova coprodução brasileira traz uma releitura da heroína Tainá, destinada a toda família, adaptado ao universo das crianças com idade pré-escolar. Os três longas-metragens live-action conquistaram 23 prêmios nacionais e internacionais e já foram exibidos nas TVs de mais de 40 países.

"Ter feito a personagem Tainá foi algo muito marcante na minha carreira como atriz. Vou ser eternamente grata por essa incrível oportunidade. Ver, hoje, essa obra transformada em animação, com certeza, me traz uma alegria muito grande", comenta Eunice Baía, protagonista dos dois primeiros filmes da trilogia. "O melhor de tudo é que vou poder acompanhar o desenho ao lado do meu filho. Estou bastante ansiosa!", completa.

Tainá, o macaco, Catu, o urubu-rei, Pepe e a pequena ouriça, Suri, vão viver divertidas aventuras enquanto exploram e aprendem mais sobre a maior floresta tropical do mundo e sua extraordinária diversidade. A série pretende estimular nas crianças o respeito à diversidade, às diferenças culturais, suas habilidades e limitações, trazendo uma mensagem de respeito, amizade e cuidado com a natureza em cada episódio.

"Tainá em animação foi um sonho de longa data que agora se concretiza. Esse formato certamente potencializará a difusão da mensagem de cuidado com a Natureza e com a diversidade que Tainá traz para as crianças brasileiras e de todo mundo", afirma Virginia Limberger, produtora da Sincrocine.

"O que mais me animou ao dirigir Tainá e os Guardiões da Amazônia foi a oportunidade de nos conectarmos com as crianças através do universo rico e único da Amazônia. Para criar nossos personagens, roteiros e até mesmo a arte, tivemos que nos aproximar da fauna e flora amazônica e acabamos aprendendo muito no processo. Vai ser um prazer trazer essa riqueza para as crianças. Com Tainá, conseguimos contar mensagens universais com uma linguagem só nossa, o que torna a série única", diz André Forni, diretor da animação.

"Tainá e os Guardiões da Amazônia" foi o último trabalho de Pedro Rovai, reconhecido cineasta brasileiro e criador da personagem Tainá. A série, certamente, irá despertar o interesse e reforçar o amor pela Floresta Amazônica.

Fonte: Nickelodeon (via press-release)

0 comentários:

Amigos para Sempre,

AMIGOS PARA SEMPRE | Remake de filme francês já tem trailer, cartaz e data de estreia

Bryan Cranston (foto), ator aclamado e indicado ao Oscar®, o comediante Kevin Hart (foto) e a vencedora do Oscar® Nicole Kidman se reúnem em "Amigos para Sempre" - distribuido pela California Filmes - uma comédia baseada na amizade real e duradoura entre um homem rico com tetraplegia e o ex-presidiário que é contratado para ser seu cuidador.

Dirigido por Neil Burger, com roteiro de Jon Hartmere, "Amigos para Sempre" narra a inesperada amizade entre Phillip Lacasse (Cranston), um bilionário da Park Avenue que ficou paralisado após um acidente de parapente, e o ex-presidiário Dell Scott (Hart), que precisa de ajuda para recomeçar sua vida. Recém saído da prisão e precisando de emprego, Dell está frustrado com as oportunidades disponíveis a um ex-presidiário. Depois de encontrar-se na entrevista de emprego errada, Dell usa seu irreverente carisma para encantar Phillip, que, apesar dos protestos de sua assistente pessoal Yvonne (Kidman), oferece a ele a posição de cuidador. Apesar de um começo difícil, os dois percebem rapidamente o quanto podem aprender com as experiências um do outro. Mesmo sendo de mundos diferentes, Phillip e Dell criam um vínculo improvável, superando suas diferenças e ganhando uma sabedoria inestimável no processo, que dá a cada um um senso renovado de paixão por todas as possibilidades da vida.

>>> Clique AQUI para assistir o trailer!
Cartaz oficial (Divulgação)
"Amigos para Sempre" é inspirado no grande sucesso de bilheteria de 2011, o filme francês "Intocáveis", visto por 1 milhão e 100 mil espectadores no Brasil. Os produtores Jason Blumenthal, Todd Black e Steve Tisch da Escape Artists ficaram entusiasmados com a perspectiva de recriar o clássico francês, que haviam visto há alguns anos e absolutamente amado a história. Black diz: “Nossa decisão de refazer 'Intocáveis' surgiu do desejo de mergulhar mais fundo na vida das pessoas reais e incríveis em que o filme original é baseado. Queríamos saber mais sobre suas histórias e acreditamos que poderíamos dar ao público uma nova interpretação que honrasse o brilhantismo da versão francesa”.

Embora o diretor Neil Burger tivesse imensa admiração pelo original, ele foi bem claro ao falar com Blumenthal, Black e Tisch que achava que uma adaptação em inglês poderia levar a história a um nível inteiramente novo ao público americano. Burger foi bastante específico sobre o que ele imaginou para o filme, mas foi sua capacidade de colaborar com os produtores, bem como com o escritor Jon Hartmere, que acabou materializando o roteiro.

A equipe de produtores já admirava Cranston e Hart de longa data, e esperavam que o filme fosse um desafio bem-vindo para os atores - embora de formas diferentes - e queriam ver suas respectivas interpretações dos personagens do filme original. Para Hart, este papel foi um ponto de partida e ofereceu ao ator uma oportunidade de apresentar ao público seus talentos dramáticos, mas ao mesmo tempo ainda pode usar seu humor e sagacidade, que são sua marca registrada, em sua performance.

Fonte: Califórnia Filmes (via press-release)

0 comentários:

Awards 2019,

CRITIC´S CHOICE AWARDS 2019 | Veja a lista de indicados


Um dos termômetros do Oscar é a premiação da associação de críticos e jornalistas de cultura pop, o Critics' Choice Awards. A lista de indicados foi divulgada e você pode já conferir os concorrentes à "queridinhos dos críticos", na TV e no cinema.

A cerimônia de premiação será realizada em 13 de janeiro de 2019, com transmissão exclusiva, no Brasil, pelo canal pago TNT.

CATEGORIAS DE CINEMA

MELHOR FILME

  • Pantera Negra
  • Infiltrado na Klan
  • A Favorita
  • O Primeiro Homem
  • Green Book - O Guia
  • Se a Rua Beale Falasse
  • O Retorno de Mary Poppins
  • Roma
  • Nasce uma Estrela
  • Vice


MELHOR ATOR

  • Christian Bale - Vice
  • Bradley Cooper - Nasce uma Estrela
  • Willem Dafoe - No Portal da Eternidade
  • Ryan Gosling - O Primeiro Homem
  • Ethan Hawke - First Reformed
  • Rami Malek - Bohemian Rhapsody
  • Viggo Mortensen - Green Book - O Guia


MELHOR ATRIZ

  • Yalitza Aparicio - Roma
  • Emily Blunt - O Retorno de Mary Poppins
  • Glenn Close - A Esposa
  • Toni Collette - Hereditário 
  • Olivia Colman - A Favorita
  • Lady Gaga - Nasce uma Estrela
  • Melissa McCarthy - Poderia Me Perdoar?


MELHOR ATOR COADJUVANTE

  • Mahershala Ali - Green Book - O Guia
  • Timothée Chalamet - Querido Menino
  • Adam Driver - Infiltrado na Klan
  • Sam Elliott - Nasce uma Estrela
  • Richard E. Grant - Poderia Me Perdoar?
  • Michael B. Jordan - Pantera Negra


MELHOR ATRIZ COADJUVANTE

  • Amy Adams - Vice
  • Claire Foy - O Primeiro Homem
  • Nicole Kidman - Boy Erased: Uma Verdade Anulada
  • Regina King - Se a Rua Beale Falasse
  • Emma Stone - A Favorita
  • Rachel Weisz - A Favorita


MELHOR TALENTO JOVEM

  • Elsie Fisher - Eight Grade
  • Thomasin McKenzie - Sem Rastros
  • Ed Oxenbould - Vida Selvagem
  • Millicent Simmonds - Um Lugar Silencioso
  • Amandla Stenberg - O Ódio que Você Semeia
  • Sunny Suljic - Mid90s


MELHOR ELENCO

  • Pantera Negra
  • Podres de Ricos
  • A Favorita
  • Vice
  • Viúvas


MELHOR DIRETOR

  • Damien Chazelle - O Primeiro Homem
  • Bradley Cooper - Nasce uma Estrela
  • Alfonso Cuarón - Roma
  • Peter Farrelly - Green Book - O Guia
  • Torgos Lanthimos - A Favorita
  • Spike Lee - Infiltrado na Klan
  • Adam McKay - Vice


MELHOR ROTEIRO ORIGINAL

  • Bo Burnham - Eight Grade
  • Alfonso Cuarón - Roma
  • Deborah Davis e Tony McNamara - A Favorita
  • Adam McKay - Vice
  • Paul Schrader - First Reformed
  • Nick Vallelonga, Brian Hayes Currie e Peter Farrelly - Green Book - O guia
  • Bryan Woods, Scott Beck e John Krasinski - Um Lugar Silencioso


MELHOR ROTEIRO ADAPTADO

  • Ryan Coogler, Joe Robert Cole - Pantera Negra
  • Nicole Holofcener, Jeff Whitty - Poderia Me Perdoar?
  • Barry Jenkins - Se a Rua Beale Falasse
  • Eric Roth, Bradley Cooper e Will Fetters - Nasce uma Estrela
  • Josh Singer - O Primeiro Homem
  • Charlie Wachtel, David Rabinowitz, Kevin Willmott e Spike Lee - Infiltrado na Klan


MELHOR FOTOGRAFIA

  • Alfonso Cuarón - Roma
  • James Laxton - Se a Rua Beale Falasse
  • Matthew Libatique - Nasce uma Estrela
  • Rachel Morrison - Pantera Negra
  • Robbie Ryan - A Favorita
  • Linus Sandgren - O Primeiro Homem


MELHOR DIREÇÃO DE ARTE

  • Hannah Beachler, Jay Hart - Pantera Negra
  • Eugenio Caballero, Barbara Enriquez - Roma
  • Nelson Coates, Andrew Baseman - Podres de Ricos
  • Fiona Crombie, Alice Felton - A Favorita
  • Nathan Crowley, Kathy Lucas - O Primeiro Homem
  • John Myhre, Gordon Sim - O Retorno de Mary Poppins


MELHOR MONTAGEM

  • Jay Cassidy - Nasce uma Estrela
  • Hank Corwin - Vice
  • Tom Cross - O Primeiro Homem
  • Alfonso Cuarón, Adam Gough - Roma
  • Yorgos Mavropsaridis - A Favorita
  • Joe Walker - Viúvas


MELHOR FIGURINO

  • Alexandra Byrne - Mary Queen of Scotts
  • Ruth Carter - Pantera Negra
  • Julian Day - Bohemian Rhapsody
  • Sandy Powell - A Favorita
  • Sandy Powell - O Retorno de Mary Poppins


MELHOR CABELO E MAQUIAGEM

  • Pantera Negra
  • Bohemian Rhapsody
  • A Favorita
  • Mary Queen of Scotts
  • Suspiria
  • Vice


MELHORES EFEITOS VISUAIS

  • Vingadores: Guerra Infinita
  • Pantera Negra
  • O Primeiro Homem
  • O Retorno de Mary Poppins
  • Missão Impossível: Efeito Fallout
  • Jogador Número Um


MELHOR ANIMAÇÃO

  • O Grinch
  • Os Incríveis 2
  • Ilhas dos Cachorros
  • Mirai
  • WiFi Ralph - Quebrando a Internet
  • Homem-Aranha no Aranhaverso


MELHOR FILME DE AÇÃO

  • Vingadores: Guerra Infinita
  • Pantera Negra
  • Deadpool 2
  • Missão Impossível: Efeito Fallout
  • Jogador Número Um
  • Viúvas


MELHOR COMÉDIA

  • Podres de Ricos
  • Deadpool 2
  • A Morte de Stalin
  • A Favorita
  • A Noite do Jogo
  • Sorry to Bother You


MELHOR ATOR EM FILME DE COMÉDIA

  • Christian Bale - Vice
  • Jason Bateman - A Noite do Jogo
  • Viggo Mortensen - Green Book - O Guia
  • John C. Reilly - Stan & Ollie
  • Ryan Reynolds - Deadpool 2
  • Lakeith Stanfield - Sorry to Bother You


MELHOR ATRIZ EM FILME DE COMÉDIA

  • Emily Blunt - O Retorno de Mary Poppins
  • Olivia Colman - A Favorita
  • Elsie Fisher -Eight Grade
  • Rachel McAdams - A Noite do Jogo
  • Charlize Theron - Tully
  • Constance Wu - Podres de Ricos


MELHOR FILME DE TERROR OU FICÇÃO CIENTÍFICA

  • Aniquilação
  • Halloween
  • Hereditário
  • Um Lugar Silencioso
  • Suspiria


MELHOR FILME DE LÍNGUA ESTRANGEIRA

  • Burning
  • Capernaum
  • Guerra Fria
  • Roma
  • Assunto de Família


MELHOR CANÇÃO

  • All the Stars - Pantera Negra
  • Girl in the Movies - Dumplin'
  • I'll Fight - RBG
  • The Place Where Lost Things Go - O Retorno de Mary Poppins
  • Shallow - Nasce uma Estrela
  • Trip a Little Light Fantastic - O Retorno de Mary Poppins


MELHOR TRILHA

  • Kris Bowers - Green Book - O Guia
  • Nicholas Brotell - Se a Rua Beale Falasse
  • Alexandre Desplat - Ilha dos Cachorros
  • Ludwig Göransson - Pantera Negra
  • Justin Hurwitz - O Primeiro Homem
  • Marc Shaiman - O Retorno de Mary Poppins



CATEGORIAS DE TV


MELHOR DRAMA

  • The Americans
  • Better Call Saul
  • The Good Fight
  • Homecoming
  • Killing Eve
  • A Amiga Genial
  • Pose
  • Succession


MELHOR ATOR EM SÉRIE DRAMA

  • Freddie Highmore - The Good Doctor
  • Diego Luna - Narcos: México
  • Richard Madden - Segurança em Jogo
  • Bob Odenkirk - Better Call Saul
  • Billy Porter - Pose
  • Matthew Rhys - The Americans
  • Milo Ventimiglia - This Is Us


MELHOR ATRIZ EM SÉRIE DRAMA

  • Jodie Comer - Killing eve
  • Maggie Gyllenhaal - The Deuce
  • Elisabeth Moss - The Handmaid's Tale
  • Sandra Oh - Killing Eve
  • Elizabeth Olsen - Sorry for your Loss
  • Julia Roberts - Homecoming
  • Keri Russell - The Americans


MELHOR ATOR COADJUVANTE EM SÉRIE DRAMA

  • Richard Cabral - Mayans M.C.
  • Asia Kate Dillon - Billions
  • Noah Emmerich - The Americans
  • Justin Hartley - This Is Us
  • Matthew Macfadyen - Succession
  • Richard Schiff - The Good Doctor
  • Shea Whigham - Homecoming


MELHOR ATRIZ COADJUVANTE EM SÉRIE DRAMA

  • Dina Shihabi - Jack Ryan
  • Julia Garner - Ozark
  • Thandie Newton - Westworld
  • Rha Seehorn - Better Call Saul
  • Yvonne Strahoviski - The Handmaid's Tale
  • Holly Taylor - The Americans


MELHOR SÉRIE DE COMÉDIA

  • Atlanta
  • Barry
  • The Good Place
  • O Método Kominsky
  • The Marvelous Mrs. Maisel
  • The Middle
  • One Day at a Time
  • Schitt's Creek


MELHOR ATOR EM SÉRIE DE COMÉDIA

  • Hank Azaria - Brockmire
  • Ted Danson - The Good Place
  • Michael Douglas - O Método Kominsky
  • Donald Glover - Atlanta
  • Bill Hader - Barry
  • Jim Parsons - The Big Bang Theory
  • Andy Samberg - Brooklyn Nine-Nine


MELHOR ATRIZ EM SÉRIE DE COMÉDIA

  • Rachel Bloom - Crazy Ex-Girlfriend
  • Rachel Brosnahan - The Marvelous Mrs. Maisel
  • Allison Janney - Mom
  • Justina Machado - One Day at a Time
  • Debra Messing - Will & Grace
  • Issa Rae - Insecure


MELHOR ATOR COADJUVANTE EM SÉRIE DE COMÉDIA

  • William Jackson-Harper - The Good Place
  • Sean Hayes - Will & Grace
  • Brian Tyree Henry - Atlanta
  • Nico Santos - Superstore
  • Tony Shalhoub - The Marvelous Mrs. Maisel
  • Henry Winkler - Barry


MELHOR ATRIZ COADJUVANTE EM SÉRIE DE COMÉDIA

  • Alex Borstein - The Marvelous Mrs. Maisel 
  • Betty Gilpin - GLOW
  • Laurie Metcalf - The Conners
  • Rita Moreno - One Day at a Time
  • Zoe Perry - Young Sheldon
  • Annie Potts - Young Sheldon
  • Miriam Shor - Younger


MELHOR SÉRIE LIMITADA

  • A Very English Scandal
  • American Vandal
  • The Assassination of Gianni Versace: American Crime Story
  • Escape at Dannemora
  • Genius: Picasso
  • Sharp Objects


MELHOR TELEFILME

  • Icebox
  • Jesus Christ Superstar Live in Concert
  • King Lear
  • Meu Jantar com Hervé
  • Notes from the Field
  • O Conto


MELHOR ATOR EM SÉRIE LIMITADA OU TELEFILME

  • Antonio Banderas - Genius: Picasso
  • Darren Criss - The Assassination of Gianni Versace: American Crime Story
  • Paul Dano - Escape at Dannemora
  • Benicio Del Toro - Escape at Dannemora
  • Hugh Grant - A Very English Scandal
  • John Legend - Jesus Christ Superstar Live in Concert


MELHOR ATRIZ EM SÉRIE LIMITADA OU TELEFILME

  • Amy Adams - Sharp Objects
  • Patricia Arquette - Escape at Dannemora
  • Connie Britton - Dirty John
  • Carrie Coon - The Sinner
  • Laura Dern - O Conto
  • Anna Deavere Smith - Notes From the Field


MELHOR ATOR COADJUVANTE EM SÉRIE LIMITADA OU TELEFILME

  • Brandon Victor Dixon - Jesus Chris Superstar Live in Concert
  • Eric Lange - Escape at Dannemora
  • Alex Rich - Genius: Picasso
  • PEter Sarsgaard - The Looming Tower
  • Finn Wittrock - The Assassination of Gianni Versace: American Crime Story
  • Ben Whishaw - A Very English Scandal


MELHOR ATRIZ COADJUVANTE EM SÉRIE LIMITADA OU TELEFILME

  • Ellen Burstin - O Conto
  • Patricia Clarkson - Sharp Objects
  • Penelope Cruz - The Assassination of Gianni Versace: American Crime Story
  • Julia Garner - Dirty John
  • Judith Light - The Assassination of Gianni Versace: American Crime Story
  • Elizabeth Perkins - Sharp Objects


MELHOR SÉRIE ANIMADA

  • Hora da Aventura
  • Archer
  • Bob's Burgers
  • BoJack Horseman
  • The Simpsons
  • South Park

0 comentários:

animação,

ASTRONAUTA - PROPULSÃO | Personagem de Maurício de Sousa terá série animada na HBO

A HBO anuncia "Astronauta - Propulsão", primeira animação original da HBO Latin America em parceria inédita com a Mauricio de Sousa Produções. A série será inspirada nas graphic novels e trará uma história original, com o mesmo tom aventureiro e filosófico que fez a fama do Astronauta.

>>> Clique AQUI para assistir o teaser trailer!


Para nós da HBO Latin America, trabalhar com o Maurício de Sousa e sua talentosíssima equipe é um sonho realizado”, diz Roberto Rios, vice-presidente corporativo de Produções Originais do canal. “E com um personagem tão icônico do universo da Turma da Mônica, estamos literalmente aterrissando em um novo planeta – as séries de animações de alta qualidade de produção, no estilo em que sempre fazemos com todos os nossos projetos”.

Com foco na origem do personagem dos quadrinhos, "Astronauta - Propulsão" será composta por seis episódios. O herói espacial foi criado por Maurício de Sousa em 1963 e, no ano de 2012, ganhou nova interpretação do quadrinista Danilo Beyruth - que entrevistamos AQUI. A versão repaginada será base da trama, mais adulta e complexa, misturando aventura com ficção científica.

"Logo que vi as releituras das histórias do meu personagem Astronauta feitas pelo artista Danilo Beyruth senti que tinha em mãos o básico para uma fantástica série de desenhos animados com tudo que deve ter uma proposta de ficção científica”, conta Mauricio de Sousa. “O Astronauta vive a série de maior sucesso no nosso projeto das Graphic Novels tanto pelos roteiros quanto pela realização artística. Com a nossa parceria com HBO para a realização de sua primeira produção de animação na América Latina, o canal de produções grandiosas acena para as comemorações dos 60 anos do início das nossas criações, que se iniciarão em 2020".

"Astronauta - Propulsão" é produzida por Roberto Rios, Eduardo Zaca, Patricia Carvalho e Rafaella Giannini da HBO Latin America, com produção executiva de Marcos Saraiva. Maurício de Sousa é responsável pela supervisão geral e o roteiro é de Roger Keesse. A realização é dos estúdios Birdo e Ultrassom Music Ideas. A série é produzida com recursos da Condecine (Medida Provisória nº 2.228-1 de 6 de setembro de 2001, artigo 39) e será distribuída com exclusividade pela HBO Latin America.

Fonte: HBO (via press-release)

0 comentários:

Cartazes,

O PESO DO PASSADO | Drama com Nicole Kidman tem trailer, cartaz e data de estreia

A Diamond Films divulgou o trailer legendado em português e o cartaz nacional de “O Peso do Passado”. Confira:

>>> Clique AQUI para assistir o trailer!
Cartaz oficial (Divulgação)

O longa, dirigido por Karyn Kusama (de “O Convite”), traz Nicole Kidman (foto) transformada no papel de Erin Bell, uma detetive da polícia de Los Angeles que anos atrás se infiltrou, como agente disfarçada, no submundo do crime.

Na missão, ela se uniu a membros de uma gangue, numa tarefa que terminou de maneira desastrosa, deixando marcas em sua vida. Anos depois, ela volta a se envolver com as mesmas pessoas, numa busca obsessiva pelo líder da gangue. Assombrada por suas memórias e por demônios adormecidos, Erin deve lidar com sua própria culpa.

O Peso do Passado”, que participou dos festivais de Londres e Toronto em 2018, tem ainda no elenco Toby Kebbell, Sebastian Stan, Tatiana Maslany Bradley Whitford. O filme tem previsão de estreia no Brasil em janeiro de 2019, com distribuição da Diamond Films.

Fonte: Diamond Films (via press-release)

0 comentários:

Anderson Lima,

DPA 2 - O MISTÉRIO ITALIANO | Sequência do filme infantil brasileiro tem cartaz e data de estreia

As férias de fim de ano vão ficar ainda mais animadas! A Paris Filmes divulgou o
pôster oficial e a nova data de estreia de ‘Detetives do Prédio Azul 2 – O Mistério Italiano’:
dia 20/12/2018, com pré-estreias pagas a partir de 13/12/2018.
Cartaz oficial (Divulgação)
Após levar mais de 1,3 milhão de espectadores aos cinemas, os Detetives do Prédio Azul (D.P.A.) voltam às telonas em grande estilo, com direito a aventuras internacionais. Sol (Leticia Braga), Pippo (Pedro Henriques Motta) e Bento (Anderson Lima) embarcam – de vassoura – para Puglia, no sul da Itália, para salvar Berenice (Nicole Orsini) de uma enrascada criada pelos bruxos Mínima (Fabiana Karla) e Máximo Buongusto (Diogo Vilella), que se juntam ao trio e à pequena feiticeira no cartaz, que, também, destaca os trulli, casinhas em forma de cone, típicas da região, que compõem o tom lúdico da trama.

Chegando ao velho continente, quem os recepciona é o avô de Pippo, Giuseppe (Antônio Pedro), que guia os detetives nessa jornada cheia de mistérios e magia. Lá, acontece a Expo-Bruxos, uma convenção de bruxos onde também estarão Leocádia – agora interpretada pela atriz Claudia Netto – e Theobaldo (Charles Myara). Longe dos pais, que foram enfeitiçados e ficaram congelados no prédio sob os cuidados do porteiro Severino (Ronaldo Reis), Sol, Pippo e Bento precisam unir forças e coragem para enfrentar uma aventura fantástica, repleta de magia e desafios. E essa será mais uma missão para os imbatíveis, os invencíveis, os internacionais Detetives do Prédio Azul!

Com produção da Paris Entretenimento, coprodução do Gloob e da Globo Filmes, ‘Detetives
do Prédio Azul 2 – O Mistério Italiano’ tem direção de Vivianne Jundi, que também está à
frente da série na TV e do spin-offVlog da Mila”, disponível no Gloob Play, plataforma de VOD
do canal. O filme foi rodado ao longo de junho e julho, de 2018, no Rio de Janeiro, em
locações como a Lagoa Rodrigo de Freitas, e em Niterói, no Teatro Municipal João Caetano e
na Fortaleza de Santa Cruz e, na Itália, em Alberobello, em locações como Castelo Marchione
e Paroquia de Santo Antonio de Padova.

Fonte: Paris Filmes (via press-release)

0 comentários:

documentário,

LINDSAY LOHAN | Série documental sobre atriz já tem data de estreia

O canal pago MTV acaba de anunciar que o programa que vai acompanhar a vida da atriz, influenciadora e empreendedora Lindsay Lohan (foto), chega à grade do canal em 2019. Em formato de série documental, 'Lindsay Lohan: A Dona do Paraíso', estreia em 08/01/2019, às 23h, com exclusividade na MTV.

De um jeito nunca visto antes, a série vai mostrar um lado pouco conhecido de Lindsay Lohan. De queridinha das telonas nos anos 90, agora a atriz expande seu império com o lançamento da boate 'Lohan Beach House', em Mykonos, na Grécia. Todos os bastidores desse novo empreendimento vão ao ar em forma de documentário no programa.

Lindsay monta uma operação de guerra (e de peso) com uma equipe selecionada para fazer da nova boate um sucesso. Os jovens ambiciosos e de muito prestígio foram escolhidos para fazer o nome de Lindsay Lohan virar sinônimo de luxo para a nata da sociedade. Entre negociações e muito trabalho, as relações pessoais entre amizade e romance começam a se estreitar. Logo, eles terão que aprender a ter muito jogo de cintura para não decepcionar a chefe.

Fonte: MTV (via press-release)

0 comentários:

California Filmes,

CULPA | Candidato dinamarquês ao Oscar 2019 tem nova data de estreia

O longa “Culpa”, dirigido por Gustav Möller, foi o filme escolhido para representar a Dinamarca no Oscar 2019. Com estreia marcada para 27/12/2018, o filme foi exibido na 42ª Mostra Internacional de Cinema em São Paulo, no Festival do Rio e no 6º BIFF - Festival Internacional de Cinema de Brasília, onde levou o prêmio de Melhor Filme do Júri Oficial e Melhor Filme segundo voto Popular.

>>> Clique AQUI para assistir o trailer!
Cartaz oficial (Divulgação)
A trama se inicia quando o operador de monitoramento de alarme e ex-policial Asger Holm (Jakob Cedergren, foto) atende uma ligação de emergência de uma mulher sequestrada. Quando a ligação é subitamente desconectada, começa então a busca pela mulher e seu sequestrador. Com o telefone como sua única ferramenta, Asger entra em uma corrida contra o tempo para salvar a mulher em perigo, mas ele logo percebe que está lidando com um crime que é muito maior do que ele pensava.

"Eu tive a ideia para o filme quando, por acaso, me deparei com uma ligação real do 911 de uma mulher sequestrada. A mulher estava dentro de um carro e, como estava sentada ao lado de seu sequestrador, falava em códigos. No começo eu estava apenas preso ao suspense da ligação, como qualquer ouvinte faria. Mas então comecei a refletir sobre o que a tornava tão intrigante", revela Gustav Möller.

Culpa” é o longa-metragem de estreia do cineasta Gustav Möller. Seu primeiro curta ganhou o prêmio Next Generation Award em Haugesund.  No Brasil, o filme é distribuído pela California Filmes.

Fonte: California Filmes (via press-release)

0 comentários:

2 Autonmes 3 Hivers,

CRÍTICA [CINEMA] | "2 Outonos e 3 Invernos", por Kal J. Moon

Escrito e dirigido por Sébastien Betbeder, estrelado por Vincent Macaigne, Maud Wyler e Bastien Bouillon, "2 Outonos e 3 Invernos" fala de, bem, ah, sei lá, mil coisas, viu...


Pompa e circunstância
Não dá para dizer com exatidão quem ou que filme marcou a chancela de que, para um roteiro ser original, necessita basear-se na vida real de fio a pavio, com todas as suas idiossincrasias, vicissitudes e pilhérias mil. Nem precisa necessariamente ser bem escrito ou com boas atuações por parte do elenco. E pronto: o cineasta automaticamente ganhará status de cult, muitos tecerão loas em seu nome e prêmios serão entregues a fim de atestar a genialidade da obra.

Não quem inventou tal ~"regra" - afinal, a vida real não tem a menor graça e, por isso mesmo, nos apegamos tanto à ficção - mas gostaria de gritar "TEU C*!" a plenos pulmões na cara estupefata desta pessoa.

"2 Outonos e 3 Invernos" bebe fervorosamente dessa fonte pseudo-cult como se adaptasse um livro de inspiração beatnik ipsis-literis. O filme é uma espécie de releitura barata e preguiçosa de "A Salamandra", dirigido por Alain Tanner - que inclusive é citado verbal e visualmente na película -, dando voz a cada "protagonista" em capítulos curtos, todos falando sobre as dificuldades da convivência humana, relacionamentos bem sucedidos e/ou fracassados, tentativas frustradas de suicídio, honestidade no mundo moderno, amizades improváveis.... Porém sem a menor preocupação em ter um propósito narrativo. Aqui, a discussão é mais importante que a trama - até porque não existe uma trama propriamente dita, somente gente enjoada falando pomposamente ad nauseaum.

O filme até inicia-se promissor, utilizando o conhecido recurso das personagens conversando com a câmera, como se falassem com o público - recurso este que lembra bastante a narrativa dos documentários - mesclando narração em off, dando agilidade ao que é mostrado na telona. Mas quando este recurso é utilizado à exaustão do início ao fim da exibição, temos um grave problema. E utilizar narração para dizer o que está sendo visto é um tremendo desperdício.

Nem mesmo as partes mais interessantes dessa fragmentada narrativa - um assalto frustrado que resulta num personagem levando uma facada e outro personagem sofrendo um AVC - são desenvolvidas a contento no desenrolar da história.

O grande destaque do elenco é mesmo Vincent Macaigne, que defende sua personagem Arman de forma adequada, fazendo o público acreditar em sua postura "poser-loser" com veemência e simpatia. É ele que nos faz querer saber o que acontece com o personagem no final - final aberto ~"como a vida" (AAAARGH!!!), vale salientar.

"Mas, tio Kal... O filme é bom?", pergunta você. Bem, vai depender de que tipo de experiência desejas. Se for um debate enfadonho de pouco mais de uma hora de duração que pode ser encontrado em qualquer literatura de baixo quilate e que faria até mesmo Paulo Coelho corar de vergonha alheia, vá em frente pois esse filme é pra você. Viva! Porém, se preferir um entretenimento pautado por começo, meio e fim muito bem estabelecido, bem, a vida é curta e talvez este filme não seja exatamente a sua praia, ok?

O filme ainda não possui uma cinematografia marcante que torne está narrativa mais atraente - não que fosse funcionar com este roteiro mas... - porém a edição e a montagem são eficientes e funcionais. Mas assista e tire suas próprias conclusões. Afinal, sua opinião é a mais importante de todas, certo?


Kal J. Moon quase perdeu a perna esquerda ao cair de um barranco durante a infância. Anda com dificuldade. Não ria...

0 comentários:

A Balada de Buster Scruggs,

CRÍTICA [STREAMING] | "A Balada de Buster Scruggs", por Marlo George

Recheado de estrelas e visual incrível, novo longa dos Irmãos Coen não empolga


A Balada de Buster Scruggs está disponível para streaming através do serviço Netflix a cerca de um mês e vem causando muito burburinho nas redes sociais. Bem, isso não seria novidade, afinal os filmes dos diretores Ethan e Joel Coen são do tipo ame-os ou odeie-os. 

Isso se dá pela visão sarcástica, bem-humorada e sombria dos irmãos que já dava os ares de sua graça em seu segundo longa, Arizona Nunca Mais de 1987, o primeiro que assisti, na distante década de 90 em uma fita suja da locadora do meu bairro. Este filme serviu para chamar minha atenção e, desde então, venho acompanhando sua trajetória pelas telonas.

Além deste, eles emplacaram clássicos modernos como Fargo: Uma Comédia de Erros (1996) e Inside Llewyn Davis: Balada de um Homem Comum (2013). O primeiro rendeu uma série de TV (que tem sua quarta temporada prevista para 2020) e o segundo revelou astros como Oscar Isaac e Adam Driver, que atualmente atuam no elenco da nova trilogia Star Wars.

Eles também são responsáveis por filmes muito legais e que fizeram a cabeça da galera mais ligada em cinema autoral como Onde os Fracos Não Têm VezQueime Depois de Ler, de 2007 e 2008, respectivamente. Vale ressaltar que, entre seus filmes mais obscuros temos Matadores de Velhinhas (2004) e Bravura Indômita (2010), duas refilmagens que estão entre as minhas favoritas da dupla. 

Mas por trás dos clássicos instantâneos e dos refilmagens de filmes cults, os Irmãos Coen apresentaram alguns filmes bem ruins como seu penúltimo longa Ave César, de 2016, e Um Homem Sério (2009).

Deixando de lado minha opinião sobre os filmes acima, pois estes despertaram paixões e ódio por onde foram exibidos, colecionando defensores e detratores, é bom que fique claro que, seja lá qual for sua opinião sobre o trabalho deles, quando uma produção da dupla é lançada é vale sua atenção. Seja para falar bem ou mal, pois sempre são filmes interessantes, até mesmo os que acho ruins.


Seu novo longa, A Balada de Buster Scruggs, é daqueles que são ruins. Pronto, falei. Mas, apesar do roteiro que peca por sua previsibilidade e diálogos insossos, o trabalho do elenco é fenomenal. Aliás, isso já é de se esperar, pois é impossível ver um ator se saindo mal nos filmes dos Coen. Eles conseguem "espremer o sumo" do talento de qualquer um. Sim, acredite em mim, até mesmo de Marlon Wayans em Matadores de Velhinhas eles conseguiram isso. Pasmem.

Por isso já vale a atenção.

Todos os atores estão muito bem no longa, que é divido em esquetes. Na primeira, homônima ao título e estrelada por Tim Blake Nelson, temos mais uma das clássicas cenas de morte bizarras que assinatura da dupla. A história é bobinha, mas as canções e presença de Clancy Brown (o Kurgan de Highlander: O Guerreiro Imortal) salvam os primeiros minutos do longa.

A segunda esquete, "Near Algodonoes", traz de volta James Franco, após os episódios machistas em que se envolveu recentemente e queimaram um pouco seu filme. De todas é a esquete que tem o final menos previsível. É bacana.


Liam Neeson e Harry Melling estrelam "Meal Ticket". Mr. Neeson dispensa apresentações, mas vale relembrá-lo sobre quem é esse tal Harry Melling. Ele interpretou o primo chato de Harry Potter, na saga do bruxinho mais querido do mundo. Pois é, ele cresceu, estudou, aprendeu e agora brilha ao lado de um dos maiores atores de cinema do mundo. Nossa, fiquei realmente impressionado com sua performance. Pena que a trama é manjada e o final fica na cara nos minutos finais da esquete.

"All Gold Canyon" é a terceira esquete e traz apenas Tom Waits e Sam Dillon. Legal, mas novamente não traz nada de novo.

O quarto segmento parecia que ia agradar mais que os anteriores, com a história de um caravaneiro e uma de suas clientes. Bill Heck e Zoe Kazan são os protagonistas de "The Gal Who Got Rattled" e, mais uma vez, a falta de originalidade do roteiro desperdiça interpretações maravilhosas. Uma pena.


E fechando o filme temos a esquete "The Mortal Remains". Eu acreditei que esta iria unir todas as esquetes anteriores, me fazendo pular da poltrona (POP, é claro... a original, kkkk) e apontar para a TV gritando "É disto que estou falando!". Mas, mais uma vez, temos apenas uma história que até é original, mas foi mal desenvolvida. Em cena, numa carruagem, temos Jonjo O'Neill, Brendan Gleeson, Saul Rubinek, Tyne Daly e Chelcie Ross. A ideia é boa (pois parece com aquelas piadas que envolvem um português, um brasileiro e um americano, sabe qual é?), mas é ruim demais e os diálogos interessantes (finalmente) se perdem em um desfecho que coloca tudo a perder.

Não fosse o pecado do roteiro, A Balada de Buster Scruggs seria um grande longa metragem, pois é bem realizado, interpretado e conta com direção de arte e fotografia impecáveis. A trilha sonora é ótima e, se não fosse por estas qualidades, ganharia uma nota zero.



Marlo George assistiu, escreveu e já leu muita revistinha de faroeste na vida

1 comentários:

Golden Globe Awards 2019,

GOLDEN GLOBE AWARDS 2019 | Conheça os indicados



Saiu a lista de indicados ao Globo de Ouro 2019 (Golden Globe Awards) , premiação oferecida pela Associação de Imprensa Estrangeira em Hollywood (HFPA).

A cerimônia de premiação, que será exibida com exclusividade pelo canal pago TNT em 06 de janeiro, será apresentada por Sandra Oh e Andy Samberg.

Confira:


CATEGORIAS DE CINEMA


MELHOR DRAMA

  • Nasce uma Estrela
  • Se a Rua Beale Falasse
  • Pantera Negra
  • Infiltrado na Klan
  • Bohemian Rhapsody


MELHOR COMÉDIA OU MUSICAL

  • A Favorita
  • Green Book - O Guia
  • Vice
  • Podres de Ricos
  • O Retorno de Mary Poppins


MELHOR ANIMAÇÃO

  • Os Incríveis 2
  • Ilha dos Cachorros
  • Mirai
  • WiFi Ralph - Quebrando a Internet
  • Homem-Aranha no Aranhaverso


MELHOR FILME ESTRANGEIRO

  • Assunto de Família (Japão)
  • Cafarnaum (Líbano)
  • Girl (Bélgica)
  • Nunca Deixe de Lembrar (Alemanha)
  • Roma (México)


MELHOR ATOR - DRAMA

  • Bradley Cooper (Nasce uma Estrela)
  • Rami Malek (Bohemian Rhapsody)
  • Lucas Hedges (Boy Erased)
  • Willem Dafoe (No Portal da Eternidade)
  • John David Washington (Infiltrado na Klan )


MELHOR ATOR - COMÉDIA OU MUSICAL

  • Christian Bale (Vice)
  • Viggo Mortensen (Green Book - O Guia)
  • Lin-Manuel Miranda (O Retorno de Mary Poppins)
  • Robert Redford (The Old Man & The Gun)
  • John C. Reilly (Stan & Ollie)


MELHOR ATOR COADJUVANTE

  • Mahershala Ali (Green Book - O Guia)
  • Timothee Chalamet (Querido Menino)
  • Sam Rockwell (Vice)
  • Adam Driver (Infiltrado na Klan)
  • Richard E. Grant (Poderia Me Perdoar?)


MELHOR ATRIZ - DRAMA

  • Lady Gaga (Nasce uma Estrela)
  • Glenn Close (A Esposa)
  • Melissa McCarthy (Poderia Me Perdoar?)
  • Nicole Kidman (O Peso do Passado)
  • Rosamund Pike (A Private War)


MELHOR ATRIZ - COMÉDIA OU MUSICAL

  • Emily Blunt (O Retorno de Mary Poppins) 
  • Olivia Colman (A Favorita)
  • Elsie Fisher (Eight Grade)
  • Charlize Theron (Tully)
  • Constance Wu (Podres de Ricos)


MELHOR ATRIZ COADJUVANTE

  • Amy Adams (Vice)
  • Claire Foy (O Primeiro Homem)
  • Emma Stone (A Favorita)
  • Rachel Weisz (A Favorita)
  • Regina King (Se a Rua Beale Falasse)


MELHOR CANÇÃO ORIGINAL

  • “All the Stars,” Pantera Negra
  • Girl in the Movies,” Dumplin
  • “Requiem for A Private War,” A Private War
  • “Here Comes the Change,” Suprema
  • “Shallow,” Nasce uma Estrela


MELHOR TRILHA SONORA ORIGINAL

  • Um Lugar Silencioso
  • Ilha dos Cachorros
  • Pantera Negra
  • O Primeiro Homem
  • O Retorno de Mary Poppins


MELHOR ROTEIRO

  • Roma
  • A Favorita
  • Se a Rua Beale Falasse
  • Vice
  • Green Book - O Guia


MELHOR DIRETOR

  • Alfonso Cuarón (Roma)
  • Adam McKay (Vice)
  • Bradley Cooper (Nasce uma Estrela)
  • Spike Lee (Infiltrado na Klan)
  • Peter Farrelly (Green Book - O Guia)



CATEGORIAS DE TV


MELHOR SÉRIE - DRAMA

  • Killing Eve
  • Homecoming
  • Segurança em Jogo
  • Pose
  • The Americans


MELHOR SÉRIE - COMÉDIA

  • Barry
  • The Marvelous Mrs. Maisel
  • The Good Place
  • O Método Kominsky
  • Kidding


MELHOR MINISSÉRIE OU TELEFILME

  • O Alienista
  • A Very English Scandal
  • The Assassination of Gianni Versace: American Crime Story
  • Sharp Objects
  • Escape at Dannemora


MELHOR ATOR - SÉRIE DE DRAMA

  • Jason Bateman (Ozark)
  • Stephan James (Homecoming)
  • Matthew Rhys (The Americans)
  • Billy Porter (Pose)
  • Richard Madden (Segurança em Jogo)


MELHOR ATOR - MINISSÉRIE OU TELEFILME

  • Antonio Banderas (Genius)
  • Daniel Bruhl (The Alienist)
  • Darren Criss (Assassination of Gianni Versace)
  • Benedict Cumberbatch (Patrick Melrose)
  • Hugh Grant (A Very English Scandal)


MELHOR ATOR COADJUVANTE

  • Alan Arkin (O Método Kominsky)
  • Kieran Culkin (Succession)
  • Edgar Ramirez (The Assassination of Gianni Versace: American Crime Story)
  • Ben Whishaw (A Very English Scandal)
  • Henry Winkler (Barry)


MELHOR ATOR - SÉRIE DE COMÉDIA OU MUSICAL

  • Bill Hader (Barry)
  • Sacha Baron-Cohen (Who Is America?)
  • Jim Carrey (Kidding)
  • Donald Glover (Atlanta)
  • Michael Douglas (The Kominsky Method)


MELHOR ATRIZ - SÉRIE DE DRAMA

  • Catriona Balfe (Outlander)
  • Elisabeth Moss (The Handmaid's Tale)
  • Julia Roberts (Homecoming)
  • Keri Russell (The Americans)
  • Sandra Oh (Killing Eve)


MELHOR ATRIZ COADJUVANTE

  • Alex Borstein (The Marvelous Mrs. Maisel)
  • Patricia Clarkson (Sharp Objects)
  • Penelope Cruz (Assassination of Gianni Versace)
  • Yvonne Strahovski (The Handmaid's Tale)
  • Thandie Newton (Westworld)


MELHOR ATRIZ - MINISSÉRIE OU TELEFILME

  • Amy Adams (Sharp Objects)
  • Connie Britton (Dirty John)
  • Laura Dern (O Conto)
  • Patricia Arquette (Escape at Dannemora)
  • Regina King (Seven Seconds)


MELHOR ATRIZ - SÉRIE DE COMÉDIA

  • Alison Brie (GLOW)
  • Candice Bergen (Murphy Brown)
  • Debra Messing (Will and Grace)
  • Kristen Bell (The Good Place)
  • Rachel Brosnahan (The Marvelous Mrs. Maisel)

0 comentários:

A Maldição da Chorona,

CCXP 2018 | Warner Bros. amplia presença na maior Comic Con do mundo!

A Warner Bros. participa novamente do maior evento de cultura pop do Brasil, a Comic Con Experience, que acontecerá entre os dias 05 e 09/12/2018. Nesta edição, a empresa levará para os fãs seu maior estande desde o início do evento, com 900m², e reunirá 16 atrações interativas. Como nos anos anteriores, o estande terá a sinergia entre as divisões: Warner Bros. Pictures, Warner Channel, Warner Home Entertainment e Warner Bros. Consumer Products.

Neste ano, visando aprimorar a experiência dos fãs e buscando otimizar o tempo das filas das ativações, a Warner criou um site todo novo , onde os visitantes poderão agendar a participação nas atrações interativas com antecedência, escolhendo o horário que gostariam de participar. As 16 atrações possuem vagas limitadas por horário, porém quem chegar no local também terá a oportunidade de entrar nas ativações.

Quem passar pelo estande verá as principais e mais aguardadas estreias do cinema dos próximos meses, incluindo o aguardado lançamento da Warner Bros. Pictures e Metro Goldwyn Mayer Pictures, Creed II, na qual fãs disputarão uma “luta” de conhecimentos sobre os filmes da série; os títulos de destaque da DC Aquaman, com uma experiência sensorial no fundo do mar, e Shazam!, com a chance de tornar-se o herói ao gritar a palavra mágica; o próximo épico do Horrorverse do estúdio com a Legendary Pictures, Godzilla II: O Rei dos Monstros; e a primeira aventura Pokémon em live action, POKÉMON: Detetive Pikachu, com uma incrível experiência em Realidade Aumentada. O universo de filmes de terror da New Line Cinema também estará presente para aterrorizar os fãs em uma experiência sinistra, que envolve o terceiro capítulo assustador da franquia Annabelle, o retorno de Pennywise com IT: Capítulo 2 e a nova e arrepiante interpretação da lenda mexicana A Maldição Da Chorona.

Depois do sucesso absoluto na Casa Warner, a Warner Channel decidiu trazer o ponto de encontro dos personagens de Riverdale, a lanchonete Pop's, para a CCXP desse ano. Já o espaço de The Big Bang Theory fará os fãs reviverem um dos episódios icônicos da série, em que Leonard corre atrás de Sheldon dentro de uma piscina de bolinhas. Na área dedicada ao Flash será possível apostar corrida com o personagem mais rápido do mundo, interagindo com uma grande tela de LED, e os que passarem pela ativação de Young Sheldon ficarão de cabelo em pé com bolas eletromagnéticas que estarão no local. Por fim, os fãs do canal e da série Supernatural poderão embarcar em uma aventura com os irmãos Winchester na Garagem do Demônio a bordo do Baby, que levará os Hunters para um tour em uma cidade fantasma.

A Warner Games estará presente com o jogo LEGO DC Super-Villains, lançado no dia 17 de outubro, e possibilitará que os visitantes se arrisquem na nova aventura LEGO® e criem seus próprios super-vilões em estações interativas. Também estará presente na feira o jogo Injustice 2: Legendary Edition, em que os jogadores poderão escolher entre heróis da DC Comics como Batman, Aquaman, Flash, Mulher Maravilha e Superman para duelarem entre si. Além disso, os visitantes terão acesso antecipado à uma versão de teste do jogo Resident Evil 2, lançamento da Capcom, distribuído no Brasil pela Warner Games e que chega ao país em 25 de janeiro de 2019.

Nesta edição, a Ellus 2nd Floor participa com uma parceria especial com a Warner Bros., vestindo os promotores que estarão atendendo o público no estande. A marca desenhou exclusivamente para o evento uniformes personalizados e levará também alguns convidados para a inauguração, a aguardada Spoiler Night, e durante os dias que acontecem a CCXP.

Os fãs que passarem pelo estande poderão, também, conferir e participar, ao longo dos quatro dias de evento, de debates e conversas com influenciadores e fãs sobre o universo DC, séries, filmes e lançamentos desse ano no cinema.  Somando-se a isso, pela primeira vez a Warner Bros. terá sua loja com produtos exclusivos de produções do estúdio, incluindo heróis da DC, séries de TV e personagens no universo de horror. O espaço terá ainda produtos com venda exclusiva no evento, tais como: 5 boxes desenhados por artistas da DC, realizados em parceria com a Chiaroscuro Studios; 4 boxes de colecionável exclusivo da Mattel com o personagem Aquaman; e camiseta exclusiva do novo filme Shazam!

Fonte: Warner Bros (via press-release)

0 comentários:

ArtHouse,

CRÍTICA [CINEMA] | "O Beijo no Asfalto", por Kal J. Moon

Baseado na peça teatral de Nelson Rodrigues, escrito e dirigido por Murilo Benício, estrelado por Lázaro Ramos, Fernanda Montenegro, Débora Falabella, Otávio Müller, Augusto Madeira e grande elenco, a nova versão de "O Beijo no Asfalto" consegue o feito de celebrar o teatro ao mesmo tempo que entrega um registro nunca antes vista no cinema brasileiro.

O anacrônico moderno
Há quem diga que nada melhor do que estrear no roteiro e na direção cercado de uma situação confortável, com um elenco que confia no que está sendo encenado e dos melhores profissionais que o mercado pode oferecer. É interessante que em sua estreia no cinema do outro lado da câmera, Murilo Benicio tenha alcançado o todas essas graças acima mas nada disso mascara quaisquer faltas de talentos de sua parte. Muito pelo contrário, aliás.

Num formato diferenciado, misturando documentário, teatro e o melhor que o cinema tem a oferecer, essa nova versão de "O Beijo no Asfalto" prima pela expertise de mostrar como uma peça teatral de tal porte é construída, do zero, da coxia ao ensaio aberto, com diretor de elenco explicando motivações de personagens, inflexões verbais, posturas em cena e tudo o mais que acaba resultando no belo e trágico espetáculo que só o texto vibrante de Nelson Rodrigues pode evocar.

Na trama, Arandir (Lázaro Ramos), um homem que, sem pensar, atende ao pedido de um beijo na boca feito por outro homem prestes a morrer ao ser atropelado na Avenida Presidente Vargas (RJ). Tal gesto banal vira uma matéria sensacionalista de Amado (Otávio Müller), um repórter que cria uma "fake news" e passa a explorar o beijo entre dois homens para vender mais jornal. A versão criada pelo jornalista incita a polícia a investigar uma suposta ligação entre Arandir e o morto e cria dúvidas na cabeça de Selminha (Débora Falabella), mulher de Arandir e filha de Aprígio (Stênio Garcia), que, misteriosamente, insiste na ideia de que presenciou o beijo, quando, na verdade, estava de costas.

Sinceramente, não importa nem um pouco à audiência saber quais as motivações por trás do insólito ato de Arandir - vigorosamente defendido por Lázaro Ramos - assim como não importa ter certeza se Capitu traiu (ou não) Bentinho ao final de "Dom Casmurro". A real importância é dada à paranóia que toma conta dessas personagens - que nada mais são do que um microcosmo desse país auriverde, infestado a cada dia por um discurso que propaga novas proibições na vida das pessoas.

Os destaques são muitos aqui. A começar pela estilosa e o totalmente adequada direção de fotografia de Walter Carvalho - aliada à precisa montagem e edição de Pablo Ribeiro - escolhendo filmar tudo no glorioso branco e preto, com sábias escolhas da iluminação teatral para evidenciar nuances escondidas dessas pérfidas personagens, permitindo uma leitura ainda mais profunda da psique humana - algo deveras presente na dramaturgia rodriguiana.

Benício, enquanto roteirista, teve a sagacidade de não mexer muito no roteiro original da peça - ainda que "filmar o ensaio" crie um formato que diferencia o filme das demais versões. Como diretor, Benício parece deixar os atores à vontade para criarem suas versões das personas mas sem se afastar muito da proposta original, respeitando ao máximo a lavra do grande Nelson Rodrigues.

As indicações dramatúrgicas advindas de Amir Haddad - que aqui aparece como um diretor de elenco - e Fernanda Montenegro - que se divide entre uma personagem e uma espécie de conexão entre a versão original da peça e o novo filme - fornecem diversas e valiosas informações dos bastidores da criação da peça, como o fato de que o personagem Amado - magistralmente vivido por Otávio Müller - realmente existiu e comparecia aos ensaios da peça nos anos 1960 para conferir como era encenado e que, ele próprio, "era muito pior" que sua versão escrita...

O elenco parece dividir-se naturalmente entre estilos diferenciados de atuação. Enquanto Otávio Müller, Fernanda Montenegro e Augusto Madeira (a dobradinha Müller-Madeira é um dos mais memoráveis embates cênicos que já se viu num filme brasileiro) embarcam numa abordagem e construção perfeitamente verossímil dos canalhas que se consideram homens de bem numa cruzada pela moral e bons costumes - a todo custo aliás -, Stênio Garcia, Lázaro Ramos e Débora Falabella já desenvolvem um viés mais de teatro clássico, num bem vindo exagero cênico, onde questiona-se a perseguição, indo mudando aos poucos de opinião, passando do lamento à repulsa gradativamente. Já Luiza Tiso reproduz o que o texto pede, sem grande destaque e com uma alofonia irritante como se tivesse mais inocência do que a personagem necessita, quase infantil, destoando do restante do elenco.


A direção de arte - concebida por Tiago Marques Teixeira -, a maquiagem - de Gabriela Figueira - e o figurino - criada por Valeria Stefani - também se destacam por reproduzir bem os cenários e o que era trajado nos anos de chumbo e, ainda assim, fotografar bem em branco em preto - o belíssimo visual do filme parece emular, a cada quadro, uma ilustração de Eduardo Risso... Talvez, essa opção pelo chiaroschuro se deva às "trevas" dessa época tão conturbada politicamente, uma vez que a tentativa de defesa e o implacável ataque visto em cena nada mais é do que a mais pura política de valores.

O único destaque negativo é a trilha sonora incidental comandada por Berna Ceppas: pouco inspirada, meramente convencional e até funcional, é verdade, mas sem ousadia e nada marcante.

Bem, o diretor e roteirista Murilo Benício fez o dever de casa: utilizou o melhor texto, cercou-se de um elenco estupendo e realizou uma obra memorável. Em sua estreia, desponta como um dos mais promissores diretores do cinema feito no Brasil. Bom gosto é tudo...





Kal J. Moon terminou de assistir o filme e disse: "Estou besta! Meu queixo caiu no chão!". Ele havia esquecido de fixar bem a dentadura...

0 comentários: