Billie Joe Armstrong,

CRÍTICA [MÚSICA] : Álbum ¡DOS! de Green Day.

19:01 Andreas César 0 Comments



Como disse na resenha de ¡UNO!, que você pode conferir clicando AQUI, esta é a segunda resenha sobre a trilogia de discos da banda Green Day¡UNO!, ¡DOS! e ¡TRÉ!, então se você já ouviu os discos, espero que goste. Bom, vamos começar.

P.S. : As músicas em vermelho são as que eu acho que devem ser escutadas.

1. See You Tonight.

Essa música (ou melhor, trilogia) não parece ser do Green Day, acho meio estranho uma banda pós-punk começar o disco com uma música lenta. Mas, deixando esse fato de lado, é uma música com uma letra bem simples, uma guitarra  bem simples e acho que não tem nem o que agradar, nem o que desagradar. Acho que poderia ser melhor.

Nota: 2/5

2. Fuck Time.

A guitarra e bateria funcionam de uma forma bem legal no início, entretanto a letra é um tanto quanto besta, e é bem descartável. Acho que os instrumentos na música toda são bem feitos pra caramba, só posso reclamar mesmo da letra. Gostei bastante do solo.

Nota: 2,5/5

3. Stop When Red Lights Flash.

A guitarra no início é interessante, a letra é legal e bem punk. Sério, finalmente o Green Day que eu conhecia apareceu. O solo da guitarra é bem simples, mas legal, e os instrumentos estão muito bem feitos. Acho que essa música está excelente.

Nota: 4/5

4. Lazy Bones.

O início me lembra o de Christian's Inferno, do disco 21st Century Breakdown. Letra muito boa, realmente gostei da canção. Essa música se encaixaria perfeitamente no 21st. Achei  muito legal a forma de como a música parece acabar e volta com uma porrada, bem feito. 

Nota: 4,5/5

5. Wild One.

Introdução um pouco entediante, mas bem feita. A voz nessa música está bem legal, e a garota na letra parece com a de Whatsername. Realmente acho que essa música foi feita para o American Idiot, mas ficou para sobra de estúdio e foi revivida nesse disco. Repare que a letra fala que ela abandonou Jesus (no caso St. Jimmy, o Jesus of Suburbia). Gostei dessa música, só achei meio lenta.

Nota: 4/5

6. Makeout Party.

Que introdução boa, a música também, realmente muito boa. Cara, estava faltando algo assim no álbum, a letra e o instrumental estão muito bons. Essa divide o lugar de melhor música do álbum com Wow, That's Loud. Não tenho nada para falar mal. O baixo dessa música é muito bom. 

Nota: 5/5

7. Stray Heart.

Não vou mentir, não sei o motivo, mas gosto dessa música. Entretanto, é aquilo, não tem nada a ver com o Green Day. Sério, não gostaria de dar uma nota baixo, e não consigo (acho que é porque adorei o baixo e a letra). Acho que a única coisa que não gostei foi o videoclipe, mas estamos falando de música. Contudo, acho que a música é legal, apenas ao meu ver penso que se você gosta apenas do Green Day de antigamente (acho que sou uma exceção nesse caso) você não vai gostar da música.

Nota: 3,5/5.

8. Ashley.

O começo já vem com um susto (que é o refrão) , mas sem problema. Achei a música meio legalzinha, mas é bem fraca  letra. O solo é legal, entretanto nada muito bom. Não é ruim, só acho que merecia uma letra bem melhor. 

Nota: 3/5.

9. Baby Eyes.

Gostei muito da letra e do início , e a voz e os instrumentos são muito bons. Essa com certeza vale a pena ser ouvida.  

Nota: 4,5/5

10. Lady Cobra.

Início legal, mas ele é repetido a música toda, o que o torna enjoativo. A letra é legal, "Bebendo mijo para guitarras baratas". Achei meio repetitiva, só isso.

Nota: 3/5.

11. Nightlife.

Um início horrível, com vozes ridículas e mal feitas. Não gostei de nada, acho que o álbum não precisava desta música. Muito ruim, nem consegui terminar de ouvir.

Nota: 0/5

12. Wow, That's Loud.

Legal o riff no início, bem rock n' roll a música. Letra bem feita, instrumental também, achei essa música bem legal. Solo muito bom, é o melhor solo do disco. Como já disse, divide o lugar de melhor música do álbum com Makeout Party.

Nota: 5/5

13. Amy.

Gostei do início, letra boa assim como a guitarra, gostaria de enfatizar que gostei da voz de Armstrong. Música realmente interessante, merece meu respeito. 

Nota: 5/5.

Avaliação: Ótimo
Sem dúvida esse disco é bem melhor que o Uno, acho que nem tem comparação. Bom, espero que tenham gostado, e tem a resenha do Trè também, fiquem ligados.

0 comentários: