Críticas Recentes
Destaques

NOTÍCIAS RECENTES

TV | HBO anuncia novidades para 2020

Em 2020, a HBO estreia na sua programação produções originais estreladas por grandes nomes como Jason Bateman, Nicole Kidman, Donald Sutherland e Mark Ruffalo, só para citar alguns exemplos. O ano de 2020 ainda terá as novas temporadas de "Westworld" e "Insecure", os blockbusters do cinema como o recentes "Coringa" e "It: Capítulo 2" e muito mais. Para reforçar o compromisso da HBO em sempre levar um conteúdo completo para todos, um dos grandes destaques para o próximo ano está no rebranding dos canais MAX, que a partir do primeiro trimestre serão incorporados à marca HBO. Estas são apenas as primeiras novidades que a HBO está preparando para o próximo ano - mais ainda está por vir.


"2020 será de grandes estreias, mas também um ano em que focaremos ainda mais nas experiências dos assinantes com a marca, principalmente no ambiente digital", afirma Gustavo Grossmann, vice-presidente corporativo de Networks da HBO Latin America, destacando lançamentos recentes como séries de podcasts exclusivas e os aplicativos HBO Extras e HBO Inclusão. "Seja através de nossas novas produções originais, documentários exclusivos ou filmes líderes de bilheteria, nosso foco é - e sempre será - ter um catálogo diverso e de alta qualidade, com uma relação próxima com nossa audiência." Confira a seguir as novidades da HBO em 2020:

>>> NOVAS SÉRIES
THE OUTSIDER - Baseada no livro homônimo de Stephen King e produzida e estrelada por Jason Bateman e Ben Mendelsohn, explora a investigação sobre o terrível assassinato de uma criança e a força misteriosa que cerca o caso. A estreia será em 12/01/2019 com dois episódios consecutivos, na HBO e na HBO GO.

THE UNDOING - Estrelada por Nicole Kidman (BIG LITTLE LIES) e escrita por David E. Kelly, a série foca na vida da terapeuta Grace Sachs (Kidman), que sofre uma virada repentina após uma morte violenta. No elenco, também estão Hugh Grant e Donald Sutherland.

I KNOW THIS MUCH IS TRUE - Mark Ruffalo interpreta os gêmeos Dominick e Thomas Birdsey. A trama, situada na América do século 20, acompanha a vida dos irmãos - marcada por traições, sacrifícios e perdão.

TODXS NÓS - Mais novo título nacional da HBO acompanha Rafa, jovem de 18 anos, pansexual e de gênero não-binário, que decide deixar a vida e a família no interior e mudar-se para a capital para viver com seu primo, Vini, que já dividia apartamento com Maya. Com direção geral de Vera Egito e direção de Daniel Ribeiro, a série de ficção abordará temáticas LGBTQIA+ e trará questões como racismo e assédio.

ENTRE HOMENS - A nova minissérie argentina, ambientada em Buenos Aires no ano de 1996, vai mostrar o submundo do crime em uma época considerada a mais sombria na história da polícia local.

AVENUE 5 - Uma comédia de ficção científica situada 40 anos no futuro com Hugh Laurie e criada por Armando Iannucci (VEEP).

RUN - Da ganhadora do Emmy® Phoebe Waller-Bridge, mostra uma mulher que busca se reinventar quando recebe uma mensagem de texto convidando-a a cumprir um antigo pacto, prometendo amor verdadeiro e auto-reinvenção.

>>> NOVAS TEMPORADAS
WESTWORLD (terceira temporada) - A trama criada por Jonathan Nolan e Lisa Joy volta com novos cenários e novidades no elenco, como a estreia de Aaron Paul e Lena Waithe.

INSECURE (quarta temporada) - Aclamada pela crítica, a série volta para a quarta temporada. Protagonizada pela atriz Issa Rae, indicada ao Emmy® e ao Globo de Ouro®, a comédia acompanha os novos desafios das amigas Issa e Molly, que enfrentam seus defeitos enquanto transitam por mundos diferentes e lidam com experiências cotidianas desagradáveis.

MY BRILLIANT FRIEND: THE STORY OF A NEW NAME (segunda temporada) - Prepare-se para retornar à Itália na trama baseada no segundo livro da saga de sucesso da escritora Elena Ferrante.

HIGH MAINTENANCE (quarta temporada) - A comédia chega ao seu quarto ano acompanhando as aventuras do traficante "The Guy".

CURB YOUR ENTHUSIASM (décima temporada) - A sitcom que traz Larry David, um dos responsáveis por ‘Seinfeld’, interpretando a si mesmo em uma versão exagerada e divertida chega ao seu décimo ano.

>>> FILMES
CORINGA - Apontado como um dos favoritos ao Oscar®, o longa mostra como o palhaço e comediante Arthur Fleck (Joaquin Phoenix) se transforma em um dos vilões mais temidos e perigosos de Gotham City.

IT- CAPÍTULO 2 - 27 anos depois dos eventos de ‘It - A Coisa’, o Clube dos Otários precisa se reunir novamente para lutar contra o palhaço Pennywise (Bill Skarsgard) e salvar a cidade de Derry.

MIB: HOMENS DE PRETO INTERNACIONAL - Protagonizado por Chris Hemsworth e Tessa Thompson, a dupla terá que viajar ao redor do mundo para solucionar um misterioso assassinato enfrentar sua maior ameaça até hoje: um infiltrado na organização dos Homens de Preto.

JUMANJI: PRÓXIMA FASE - A turma está de volta mas o jogo mudou. Enquanto retornam à Jumanji para resgatar um de seus amigos, eles descobrem que nada é como eles esperavam que seria. No elenco, nomes como Dwayne "The Rock" Johnson, Jack Black, Kevin Hart, Karen Gillan e Nick Jonas.

>>> HBO GO
A plataforma digital do canal vai continuar oferecendo uma experiência única de entretenimento onde o espectador estiver. Além de todas as produções citadas anteriormente, lá também será possível encontrar material extra e exclusivo sobre as produções HBO através do HBO Extras que oferece informações exclusivas e imersivas para os assinantes em tempo real: curiosidades dos bastidores, atores e cenas mais marcantes as produções.

Esta é uma nova proposta da HBO para expandir a experiência dos fãs no mundo digital. Toda semana, os episódios trarão uma análise detalhada e cheia de surpresas sobre a mais nova produção da HBO.

Outra novidade é a ampliação da experiência digital com o lançamento de podcasts dedicados aos principais títulos do canal. O começo desta inovação digital pode ser conferida em WATCHMEN: O Podcast (já disponível na plataforma), no qual cada episódio da série é analisado em seus mínimos detalhes.

Dando continuidade ao compromisso da HBO em democratizar o acesso as suas produções, o aplicativo HBO Inclusão - que oferece recursos de audiodescrição em português para deficientes visuais e legendas adaptadas com ajuste de tamanho e aumento do contraste - vai continuar a ser atualizado e receber os títulos do canal.

>>> CANAIS MAX AGORA SÃO HBO
Os canais MAX migrarão para a marca HBO no primeiro trimestre do ano, trazendo novos empacotamentos que atendem os perfis e interesses dos assinantes da HBO. O canal MAX PRIME será HBO EXTREME, um canal dedicado a títulos com foco em ação e adrenalina. MAX UP passa a ser HBO POP, com produções voltadas para o mundo da fantasia, comédias e romances. MAX será HBO MUNDI e trará para o espectador o melhor do conteúdo independente e internacional ao redor do mundo.

Fonte: HBO (via press-release)

TOM CLANCY’S JACK RYAN | Segunda temporada já tem data de estreia

Na segunda temporada de "Tom Clancy’s Jack Ryan", depois de rastrear um carregamento ilegal de armas na selva venezuelana, o agente da CIA Jack Ryan, interpretado por John Krasinski (do recente "Um Lugar Silencioso"), viaja para a América do Sul para investigar o caso. Conforme a investigação avança, Jack se vê no meio de uma conspiração governamental, onde o presidente da Venezuela lança uma ofensiva que afeta o país natal de Jack, forçando com que ele e seus colegas embarquem em uma missão de proporções globais, envolvendo os Estados Unidos, o Reino Unido, a Rússia e a Venezuela, para revelar o nefasto plano do presidente venezuelano de trazer estabilidade para um país à beira do caos.


Além de Krasinski, a segunda temporada da série conta com nomes como Wendell Pierce, Noomi Rapace e Michael Kelly. A nova temporada é uma co-produção do Amazon Studios e da Paramount Television, produzida pela Skydance Television, e irá estrear exclusivamente no Amazon Prime Video.

Os produtores executivos Andrew Form, Brad Fuller, Michael Bay, John Krasinski, Allyson Seeger, Carlton Cuse e Graham Roland são os principais responsáveis pela série. Andrew Bernstein, Vince Calandra, David Graziano, Tom Clancy, David Ellison, Dana Goldberg, Marcy Ross, Mace Neufeld, Lindsey Springer, Dennie Gordon e Phil Abraham também produziram a segunda temporada de Jack Ryan.

Fonte: Amazon Prime Video (via press-release)

SEFARAD | Filme sobre intolerância ganha cartaz e data de estreia!

Inspirado em fatos, com argumento e roteiro do Centro Histórico da Comunidade Judaica do Porto, "Sefarad" conta a história dos judeus em Portugal, da idade média à inquisição, até a era moderna. A chegada em massa de judeus expulsos de Castela (Espanha) transformou, no século XV, a cidade do Porto numa pequena Judeia. Logo, porém, Dom Manuel - rei de Portugal - , proibiu oficialmente o judaísmo no país e a comunidade desapareceu. Após a primeira guerra mundial, judeus do Leste e do Centro da Europa chegaram à cidade formando uma pequena comunidade judaica, com o apoio do militar português Capitão Barros Basto, convertido ao judaísmo. Este, então, procura resgatar todos os judeus que se tornaram cristãos-novos (ou "marranos"), para fugir da intolerância religiosa. O projeto de Barros Basto não teve o sucesso esperado pela comunidade, mas ao longo dos anos ele consegue uma nova lei permitindo oficialmente o regresso dos judeus a Portugal.
Cartaz oficial (Divulgação)
"Sefarad" relata também a história do capitão Arthur Carlos de Barros Basto (1887-1961), chamado de "Dreyfus português", que tentou ajudar outros judeus e foi acusado de insulto e injúria. Ele acabou sendo expulso do exército depois que um tribunal o condenou por conduta imprópria a um oficial.

Dirigido por Luís Ismael, o filme conta com nomes como Francisco Santos, Pedro Galiza, Ana Vargas, Moshe Cohen, Rui Spranger, Gabriela Relvas e Jorge Fernandes, com estreia em 07/11/2019 no cinemas brasileiros.

Fonte: Lira Filmes (via press-release)

TURMA DA MÔNICA JOVEM | Série animada já tem data de estreia!

Falta muito pouco para você curtir "Turma da Mônica Jovem", a nova série animada coproduzida pelo Cartoon Network e pela Mauricio de Sousa Produções. A animação inédita vai levar a "dona da rua" e seus amigos às telinhas em 07/11/2019, às 19h45.


O Cartoon Network vai exibir 13 episódios da primeira temporada semanalmente, sempre às quintas-feiras, às 19h45. O novo arco de histórias vai mostrar o desenrolar da vida de Mônica, Cebola, Cascão, Magali, Marina, Denise, Jeremias, Titi e Xaveco como adolescentes – enfrentando problemas e dilemas comuns dessa fase da vida nos mais variados temas, como redes sociais, bullying, festas, amizade, colégio, família, comportamento e muito mais.

E não para por aí! Novembro é o Mês da Mônica no Cartoon e, por isso, o canal vai exibir uma programação recheada de produções nacionais, que vão fazer o mês de novembro ser 200% brasileiras, 100% CN! De segunda a sexta, às 12h30, sábados, às 14h e aos domingos, às 16h. Além de maratonas de duas horas de duração aos domingos, começando ao meio-dia em ponto.

Fonte: Cartoon Network (via press-release)

FRANCO ZEFFIRELLI | Última semana da mostra sobre cultuado cineasta

A CAIXA Cultural Rio de Janeiro recebe a última semana da mostra "Franco Zeffirelli - Amor, Tragédia e Religião No Cinema", primeira mostra brasileira sobre o famoso cineasta italiano, mundialmente reconhecido por títulos como "Romeu e Julieta", "Jesus de Nazaré" e "Amor Sem Fim". A programação vai até 03/11/2019. Sob curadoria de Sérgio Moriconi, com coordenação geral de Nilson Rodrigues, o projeto levou para as telonas nove dos principais filmes de Zeffirelli, os mais importantes de sua carreira, trazendo um panorama bem representativo de sua produção.

A mostra apresenta filmes que revelam as três facetas da obra do diretor: Amor, Tragédia e Religião. Seu ideal romântico demonstrado nas produções cinematográficas encantou o mundo, assim como sua proximidade com as obras do escritor britânico William Shakespeare. Religioso fervoroso, Zeffirelli também foi reconhecido por sua obra histórica cristã. Em suas mãos tudo parecia ganhar uma intensidade irresistível.

"As obras que abordam o amor, de Shakespeare ou não, os trágicos e os religiosos. Zeffirelli foi um dos mais importantes adaptadores de Shakespeare para o cinema. Ele veio da ópera e foi para o cinema pelas mãos de Luchino Visconti. A intenção não é uma exposição completa da obra, com todos os títulos do cineasta, mas uma mostra conceitual a partir do momento em que Zeffirelli se instituiu como uma marca", explica Rodrigues. Os filmes apresentados foram os clássicos Hamlet, Romeu e Julieta, Otello, Jane Eyre, Chá com Mussolini, Jesus de Nazaré, O Campeão, Irmão Sol Irmão Lua e Amor Sem Fim.

É apenas uma triste coincidência que a mostra venha a ser realizada justo no ano de falecimento do homenageado. Franco Zeffirelli faleceu em 15/06/2019. "A obra e o legado deixados por Franco Zeffirelli são daqueles que transcendem o tempo. Imaginamos as restrições autoimpostas a um diretor/cenógrafo/figurinista que não cansava de declarar amor pela opulência barroca das óperas. ‘Eu adoro diversão, fantasia e mulheres’, ele gostava de dizer", comenta Moriconi.

>>> Programação

01/11/2019 (sexta-feira)
Cinema 1
14h30 - O campeão (1979), 121min, Estados Unidos, 12 anos
18h30 - Romeu e Julieta (1968), 138min, Reino Unido/Itália, 12 anos

Cinema 2
13h30 - Jane Eyre (1996), 116min, Estados Unidos, 12 anos
17h - O campeão (1979), 121min, Estados Unidos, 12 anos

02/11/2019 (sábado)
Cinema 1
14h - O campeão (1979), 121min, Estados Unidos, 12 anos
17h - Jesus de Nazaré - Parte I (1975), 135min, Reino Unido/Itália, Livre

03/11/2019 (domingo)
Cinema 1
14h - Romeu e Julieta (1968), 138min, Reino Unido/Itália, 12 anos
17h - Jesus de Nazaré - Parte II (1975), 135min, Reino Unido/Itália, Livre

>>> Serviço
Local: CAIXA Cultural Rio de Janeiro - Cinemas 1 e 2  (Av. Almirante Barroso, 25, Centro - Metrô e VLT: Estação Carioca)
Data: Até 3 de novembro de 2019 (terça-feira a domingo)
Horários: Consultar programação
Informações: (21) 3980-3815
Ingressos: R$ 6,00 (inteira) e R$ 3,00 (meia). Além dos casos previstos em lei, clientes CAIXA pagam meia.
Bilheteria: terça-feira a domingo, das 13h às 20h
Classificação Indicativa: Consultar programação
Capacidade: Cinema 1 - 78 lugares (mais 3 para cadeirantes); Cinema 2 - 80 lugares (mais 3 para cadeirantes)

Fonte: CAIXA Cultural Rio de Janeiro (via press-release)

CRÍTICA [CINEMA] | Morto Não Fala, por Kal J. Moon

Dirigido por Dennison Ramalho, estrelado por Daniel de Oliveira, Fabíula Nascimento e Bianca Comparato, "Morto Não Fala" adapta as tradições do terror clássico para o cinema brasileiro.

Causa e efeito
Há quem diga que histórias de cunho sobrenatural estejam intimamente ligadas ao público brasileiro. Talvez pelo sincretismo religioso ou por conta deste país ser habitado por um bando de supersticiosos (gente que diz não crer em nada mas não deixa de consultar diariamente o horóscopo), esse tipo de prosa tem seu atrativo por conta da curiosidade inerente ao ser humano. Afinal, o que tem ~"do outro lado"? Existe vida após a vida? É melhor ou pior. Bem, o protagonista de "Morto Não Fala" acha ambos os lados bem ruins e pode provar...

Na trama, Stênio (Daniel de Oliveira), plantonista de um necrotério,  possui um dom paranormal de se comunicar com os mortos. Trabalhando a noite, ele já está acostumado a ouvir relatos do além. Porém, quando essas conversas revelam segredos sobre sua própria vida, o homem ativa uma maldição perigosa para si e todos a sua volta..

É interessante notar que TODOS os roteiristas brasileiros que se aventuram pelo cinema de terror parecem tirar suas inspirações de antigas revistas de histórias em quadrinhos como "Spektro", "Kripta" ou "Contos da Cripta". Cada novo filme que surge nesse gênero tenta explicitar a influência quadrinística. E "Morto Não Fala" não poderia ser diferente. A estrutura, a coloração da fotografia e até mesmo cada ângulo de cena traz à memória estes gibis clássicos - e não, não tem nada de errado com isso...

Temos o protagonista com um poder especial mas que se mete numa enrascada aparentemente cada vez mais complicada, que acaba envolvendo inocentes a seu redor, gente que não deveria sofrer por conta de sua mesquinharia. E o roteiro ainda brinca com uma das maiores verdades, a de que alguém que se sente traído em seu relacionamento amoroso tem um assassinato pronto dentro de si (se vai cometer, já são outros quinhentos).

Porém, embora com algumas ideias bem interessantes, o filme deixa a desejar em alguns aspectos. O principal é o roteiro que procurar colocar diversos elementos que poderiam facilmente ficar de fora no corte final. Muitas situações davam para ser resolvidas de forma mais enxuta, excluindo talvez uma boa meia hora de filme.

Tem também o elenco, que até se esforça mas com um material que não lhes favorece positivamente, acabam não rendendo o que deveriam. É o caso de Daniel de Oliveira, que carrega o filme com a mesma expressão do início ao fim. Nem mesmo nos momentos mais agonizantes vê-se o personagem "surtar", como se conseguisse lidar com o cenário funesto que se instala em sua vida. Além disso, não há a menor explicação de como conseguiu seus "poderes" - só uma fala onde diz que "sempre conseguiu falar com mortos" e nada mais. Se o filme iniciasse com a morte de um parente intimo quando ele era criança e ouvir o cadáver o deixasse apavorado, possivelmente teríamos mais empatia com sua personagem.

Fabíula Nascimento chega quase à caricatura, algo digno de um filme slasher. E a culpa não é dela, que é atriz pra mais de metro, pois o roteiro direciona tudo para algo na linha "A Hora do Pesadelo" e "Amityville".

O mesmo pode-se dizer de Bianca Comparato, cuja personagem até tem importância na trama mas o roteiro de Cláudia Jouvin e o próprio Ramalho (baseado no livro de Marco de Castro) não categoriza a urgência disso, correndo solto com um monte de cenas dispensáveis. As crianças são meramente operantes e nem estão ruins em cena, mas não há destaques.

Entretanto, vale destacar algumas espertezas e criatividade do roteiro - e mostrando com muita competência o dia a dia de quem trabalha num necrotério sem muitos recursos -, utilizando-se de artifícios puramente brasileiros para construir algumas situações assustadoras. A que tem inspiração em "Poltergeist" é, talvez, a melhor delas.

"Morto Não Fala" não é um filme ruim mas estava quase ultrapassando o limite entre regular e bom. Faltou pouco. Acabou sendo ~"bonzinho" com ênfase no "inho" - o famoso "dá pra ver", com baixa expectativa (sempre). Pena.


Kal J. Moon não estranhou alguém que conversa com cadáveres. Tem gente que conversa com plantas...

WATCHMEN | HBO lança podcast exclusivo sobre nova série

O canal pago HBO convida o público a dar os primeiros passos dentro do universo de "Watchmen" com o lançamento de seu primeiro podcast na América Latina. Esta é uma nova proposta da HBO para expandir a experiência dos fãs no mundo digital. Toda semana, os episódios trarão uma análise detalhada e cheia de surpresas sobre a mais nova produção da HBO.

>>> Clique AQUI para ouvir


Ambientado em um universo alternativo em que vigilantes mascarados são tratados como foras da lei, "Watchmen" abraça a nostalgia de uma das histórias em quadrinhos mais influentes da história, enquanto abre novos caminhos na narrativa. No Brasil, o jornalista Alexandre Maron e o produtor M.M. Izidoro, dois fãs de quadrinhos e cultura pop, são os responsáveis ​​por analisar e comentar cada episódio imediatamente após a estreia na HBO. Já Fiorella Sargenti e Luciano Banchero estão à frente da versão em espanhol, onde também mergulharão nas pistas, teorias e enigmas vistos na trama.

Composto por 10 episódios, "Watchmen: O Podcast" chega como mais uma forma de trazer o espectador para dentro das histórias HBO, criando uma experiência que vai muito além da TV e disponível onde o público estiver. O primeiro episódio foi ao ar em 20/10/2019, seguido da estreia de "Watchmen".

O podcast oficial da série já está disponível - sem custo adicional - no site da HBO e na HBO GO, e será atualizado semanalmente logo após a transmissão de cada episódio. Os podcasts também podem ser acessados ​​no Youtube, Spotify, Google Podcast, Apple Podcast e Deezer.

Fonte: HBO (via press-release)

CRÍTICA [TV] | Watchmen - S01E01, por Marlo George


Piloto da série baseada nos quadrinhos é um desrespeito com o material fonte

Alan Moore, roteirista e escritor, famoso por obras como Watchmen, A Liga Extraordinária, Monstro do Pântano, entre outras, sempre pediu que não vinculassem seu nome às produções que adaptaram suas obras originais. Todas as obras acima já foram adaptadas para a TV e, ou cinema. Salvo o filme de 2009, que levou para as telonas a "maior HQ de todos os tempos", segundo vários especialistas da área, Watchmen, do diretor Zack Snyder, todas as outras são muito ruins, mesmo. Inclusive a nova série baseada no Monstro do Pântano, da DC, que mal tinha começado a ter sua primeira temporada exibida e já foi cancelada.

Agora, Watchmen ganhou uma série de TV pela HBO, que pisou na bola e entregou um episódio piloto muito ruim. Talvez tão ruim quanto o filme da Liga Extraordinária.

Novamente o nome de Moore, conforme exigido, não consta nos créditos da produção.

Pois é, este primeiro episódio, de nove da primeira temporada, em nada lembra os quadrinhos. Não mantém o espírito da obra o que é um sacrilégio, na minha opinião. A HQ é densa, filosófica, madura e nos faz refletir, características que a colocaram no panteão das grandes obras da nona arte. Este episódio piloto é desprovido de todas estas características, e mais, ainda se impõe como uma obra gratuitamente violenta, sensacionalista e, o pior de tudo, muito chata.


A trama poderia ter engatado, especialmente pela questão racial que é tratada, mas a estrutura narrativa é tão confusa que fica impossível entender o que está acontecendo. Especialmente se o espectador não estiver familiarizado com os quadrinhos. Perderam uma bela oportunidade de realizar uma boa discussão sobre o tema e suas relações com o ambiente político atual do mundo, quando alguns, mais radicais e alienados, vociferam palavras de ordem contra seus ex-adversos. Algo que manteria o espírito de Watchmen.

Nada se salva. O elenco, salvo o núcleo de Adrian Veidt (Jeremy Irons), não apresenta um bom trabalho, parecem estar atuando no automático e nem mesmo Regina King, tão reverenciada no ano passado por seu destaque em Se a Rua Beale Falasse, que lhe rendeu o Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante, convenceu. Foi bom ver Don Johnson de novo na TV, mas o roteiro o desfavoreceu e o ator não teve chance de brilhar.

Um início ruim, pra uma série que tem tudo pra dar errado.



Marlo George assistiu, escreveu e teve pena do gado