Ciarán Hinds,

RESENHA [TV] : Game of Thrones, S03E06

12:36 Unknown 2 Comments

Série: Game of Thrones (2013)
Temporada: Terceira
Episódio: 05
Título: The Climb
Diretor: Alik Sakharov
Elenco: Lena Headey, Peter Dinklage, Maisie Williams, Michelle Fairley, Emilia Clarke, Alfie Allen, Iain Glen, Kit Harington, Sophie Turner, Jack Gleeson, Aidan Gillen, Isaac Hempstead Wright, Richard Madden, Thomas Brodie-Sangster, Richard Dormer, Mark Drake, Nathalie Emmanuel, Ciarán Hinds, Kristofer Hivju, Rhys Howells, Philip McGinley, Hannah Murray,
Duração: 60 min.
Exibição: 05/05/2013



The Climb

Cheio de novidades este último episódio de Game of Thrones.

Hanna Murray cresceu muito nesta temporada.

Sam e Gilly estão na floresta, provavelmente Brancarbor, após terem fugido da fortaleza de Craster. A situação para ambos, e principalmente para o bebê inominado de Gilly, é muito complicada, mas Sam tenta manter o grupo animado com suas histórias sobre as cantorias nos salões da muralha. O medo, mesclado com a inocência transmitida pelos atores nesta cena é comovente. Eles sabem que estão em uma enrascada, sem muita comida e abrigo nenhum, porém, a esperança de chegarem à muralha, onde acreditam estarão salvos, os motiva a enfrentar todas estas adversidades. Hannah Murray, conhecida por sua participação na série "Skins - Juventude à Flor da Pele", está muito bem em "Game of Thrones" nesta temporada. Na anterior tinha achado ela um tanto quanto apagada.

A caricata Natali Tena.
A discussão emtre Meera e Osha, Ellie Kendrick e Natalia Tena, respectivemente, sobre o melhor método de se despelar um coelho quebrou um pouco da tensão de vermos Same Gilly em maus lençóis e nos fez rir um pouco. Confesso que não curtia muito a Osha no início da série. A Natalia é muito caricata (já havia notado isso em Harry Potter e a Ordem da Fênix) e acho que ela exagerava no início. Agora acho que ela já se encontrou no papel. Falando em exagero, achei que aquele ataque epilético (visão) que Jojen teve foi meio exagerado.

Já tinha dito isso antes, mas repito: Este é o núcleo mais chato da série.

Melisandre já tinha dito ao Stannis que o sangue dos Baratheon não corria apenas em suas veias, dando a entender de que ela iria em busca algum de seus parentes, mas mesmo assim me surpreendi com a chegada dela ao acampamento da Irmandade sem Estandarte. Na hora pensei: — AH! Ela veio buscar o Gendry... — e não deu outra. Outra cena que me deixou com um sorriso no rosto foi a reunião entre a Mulher Vermelha, Thoros de Myr e Beric Dondarrion. Que diálogos! São este tipo de roteiro que fazem a diferença e tornam "Game of Thrones" o sucesso que é.

Acho legal o modo como eles estão introduzindo Ramsay Snow, o bastardo do Forte do Pavor, na série. O cara, interpretado pelo excelente Iwan Rheon de Misfits, é nefasto e vem torturando Theon Greyjoy que merece levar um susto depois do que fez na última temporada. Acredito que o personagem crescerá mesmo é na quarta temporada, já que, pelo o que está nos livros, ele tem um papel importante a desempenhar neste jogo dos tronos.

Ramsay Snow é muito louco.
Agora vamos falar dos coitados que se ferraram neste episódio:

Coitado do Edmure Tully. Vai pagar pelo erro do sobrinho. Os desdobramentos desta união dos Stark com os Frey pode ser o clímax desta temporada. Espere e verá.

Coitada da Brienne. Conhecendo a personagem como conhecemos nestes últimos episódios podemos imaginar seu constrangimento ao usar um modelito tão feminino. Gosto muito, muito mesmo da Gwendoline Christie. A atriz é perfeita para o papel, e não é só fisicamente. Ela entende a personagem. Em um chat recente na internet ela disse que já tinha passado por problemas muito parecidos com os que Brienne passou por causa de seu porte físico. Christie pega sua experiência e a repassa para a personagem, que já é, disparada, uma das minhas preferidas da série, de modo a torná-la crível. Gwen, tú arrebentas.

Coitado também do orgulhoso Jaime Lannister, que já não consegue nem cortar um bife após perder a mão. Que dirá cortar um homem. Dá pena. Ainda mais após ele mostrar uma faceta que até agora o Regicida não havia revelado: Fidelidade. É a segunda vez que ele tenta ajudar Brienne, com quem firmou uma irmandade não declarada, desde que foram capturados pelos temíveis homens da Casa Bolton.

— Que merlin! — pensou Loras, nessa hora. Dá até pena! Dos dois.
Pra finalizar a lista de coitados do sexto episódio vamos falar de quatro de uma vez só. Tyrion, Cersei, Loras, e principalmente Sansa, fecham com chave de ouro esta listagem. Na dança de casais, não dá pra saber quem ficou com o pior par. Após muita politicagem e fofoca, Tyrion irá desposar Sansa e Loras será o segundo marido da ex de Robert Baratheon, Cersei. O que Tywin quer, Tywin consegue.

A rosa foi despetalada nesta cena.
Pois é, Tywin Lannister colocou a matriarca dos Tyrell no lugar dela em uma cena que ficará na história da série, arrumando um jeito de "limpar" o nome dos Lannister, casando seu filho devasso e sua filha incestuosa e ainda garantir a expansão de sua influência ao mesmo tempo.

O encontro entre Mindinho e Varys, o Aranha, foi o melhor momento de um episódio cheio de cenas maravilhosas. Sempre disse que o homem mais perigoso de Westeros era Petyr Baelish e isso ficou provado neste episódio. Que roteiro! À cada palavra dele para Varys eu ia ficando cada vez mais pasmo. Seu discurso, aliado às cenas que iam sendo mostradas, me convenceram de que este não é apenas um dos melhores episódios da série, mas, quisá, o melhor. O diretor Alik Sakharov já havia mostrado serviço, quando dirigiu o terceiro episódio da segunda temporada, "What Is Dead May Never Die", em que Tyrion testa a fidelidade dos membros do pequeno conselho, e com este "The Climb", ganha o meu respeito. Por mim, o episódio já podia terminar com esta cena entre Mindinho e Varys, sem deixar de destacar a cena de Sansa vendo o barco de Petyr Baelish, na qual sofremos juntos com Sophie Turner. Porém, ainda tinha mais por vir.

Selvagens invadem o Sul... Já estava na hora!
O episódio terminou com a chegada dos selvagens de Mance Rayder alcançando o topo da Muralha. Jon Snow, junto com sua amada Igrytte, pode mais uma vez olhar para as terras ao sul da Muralha. King´s Landing que se cuide...

Semana que vema gente se fala.

Marlo George escreveu e  jamais faria com a Ros e trairia Mindinho. Ele não ignoraria a única regra deste jogo dos tronos: Ou você vence, ou você morre!

2 comentários:

  1. Pensei sinceramente que a Ros era uma peça fundamental do Game of thrones, vendo que ela chegou à capital e foi o braço direito do mindinho... Mas agora vendo a personagem em si desde a 1ª temporada pergunto-me para que serviu ela.... mas enfim

    ResponderExcluir
  2. Pois é Seijin. Também fiquei meio abismado ao vê-la morta. E logo por quem... Achei que ela ficaria com o Greyjoy, mas só vai rolar se ele curtir necrofilia agora...

    Marlo George.

    ResponderExcluir