Crítica Cinema

CRÍTICA [CINEMA] : Sem Dor, Sem Ganho, de Michael Bay

18:21 Marlo George 0 Comments

Data de lançamento: 23/08/2013
Estúdio: Paramount Pictures
Direção: Michael Bay
Roteiro: Christopher Markus, Stephen McFeely
Elenco: Mark Wahlberg, Dwayne Johnson, Anthony Mackie, Ed Harris, Rob Corddry, Tony Shalhoub, Bar Paly, Rebel Wilson, Ken Jeong, Yolanthe Cabau
Gênero: Ação, Crime
Duração: 129 minutos
Origiem: EUA

Sinopse: Trio de fisiculturistas da Flórida sequestram milionário, mas o plano dá errado. Baseado numa história real.

Sem Dor, Sem Ganho.

Foi com muita dor e sem ganho algum que me senti ao terminar de assistir este novo filme de Michael Bay.

Sinceramente, nunca fui fã de Bay. Só pra te justificar, ele é o responsável por filmes que na minha opinião são verdadeiros absurdos, tais como Armageddon, Pearl Harbor, A Ilha e a franquia Transformers.

Poderia até ser implicância de minha parte, caso eu tivesse ido assistir o filme me recordando do fato de ser mais uma obra deste diretor. Porém, na hora H me deu um branco e eu só me dei conta disso quando a sessão terminou e seu nome estampou a tela em letras garrafais e fluorescentes.

Três marombeiros e uma ideia na cabeça.
Sem Dor, Sem Ganho é um destes filmes que só deram errado por conta da direção. Se o projeto tivesse sido dado pro diretor certo, neste caso um Eli Roth da vida (que tem uma carreira em direção, apesar de curta, digna de nota), teríamos um filmaço. Porém, temos que lidar com a realidade. A direção foi entregue a Bay e, ao invés de um filme com sacadas bacanas e trama dinâmica, assisti um filme arrastado,  desperdiçando o ótimo roteiro em que se apoia de modo negligente.

Baseado numa história real, Sem Dor, Sem Ganho nos apresenta três marombeiros: Daniel Lugo (Mark Wahlberg), Paul Doyle (Dwayne Johnson) e Adrian Doorbal (Anthony Mackie), que se unem para sequestrar e extorquir Victor Kershaw (Tony Shalhoub), um milionário latino que vive nos EUA. Kershaw - que já conhecia Lugo -, o reconhece como um dos sequestradores ainda no cativeiro e o trio decide eliminar o milionário assim que conseguirem tirar dele tudo que tem. Os três sequestradores de fim de semana até tentam eliminá-lo, mas Kershaw sobrevive e contata o detetive particular Ed DuBois (Ed Harris) para se vingar de Lugo, Doyle e Doorbal.

Também queria meu dinheiro bem bronzeado.
Com elenco de primeira, com gente que eu admiro há tempos como Mark Wahlberg (já falei isso aqui), Ed Harris e Tony Shalhoub, dentre outros que passei a curtir mais recentemente como Dwayne Johnson - que vem se livrando aos poucos de seu estigma de lutador de telecatch -, esse filme tinha que ser muito mais do que é.

O roteiro é, como já disse, legal. Foi escrito por Christopher Markus e Stephen McFeely, a dupla de roteiristas da trilogia Crônicas de Nárnia e de Capitão América : O Primeiro Vingador, além dos vindouros Thor : O Mundo Sombrio e Capitão América 2. Só pra você ter ideia, tem uma frase que é repetida duas vezes pela personagem de Mark Wahlberg que com certeza irá entrar pro ranking de melhores frases do cinema de todos os tempos:
— My name is Daniel Lugo, and I believe in fitness. ('Eu sou Daniel Lugo, e eu acredito em "malhação"').
As citações e referências à cultura pop em geral - e são várias! -, não são as mesmas de sempre. Stryper (banda de rock cristão obscura dos anos 80) é citada numa das poucas cenas legais do filme.

Enfim, se o filme é uma droga, a culpa não é do roteiro.

Explosões. Marca registrada de um diretor que maquia erros com fogo.
É culpa do diretor mesmo, que foi inepto em extrair aquilo que estava escrito no script para as telas de modo satisfatório. Os atores foram mal dirigidos e, em algumas cenas, parecem perdidos. O corte final do filme também foi realizado de forma desleixada e o filme ficou enorme sem necessidade. Existem sequências que poderiam ter sido enxugadas ou terem sido cortadas para uma futura versão estendida em Blu-Ray.

Assim sendo, não recomendo Sem Dor, Sem Ganho. Não dá pra recomendar um filme que nem todo mundo vai curtir pelos motivos certos. Assista por sua própria conta e risco...!

     Avaliação: Péssimo

Marlo George assistiu, escreveu e chegou à seguinte conclusão: Se O Poderoso Chefão é sinônimo de filmaço, Sem Dor, Sem Ganho é o antônimo disso.

TRAILER

0 comentários: