Crítica Cinema

CRÍTICA [CINEMA] | As Bem-Armadas, por Marlo George

11:51 Marlo George 0 Comments

Data de lançamento: 20/09/2013
Estúdio: Twentieth Century Fox Film
Direção: Paul Feig
Roteiro: Katie Dippold
Elenco: Sandra Bullock, Melissa McCarthy, Demián Bichir, Marlon Wayans, Michael Rapaport, Tom Wilson
Gênero: Comédia, Ação
Duração: 117 minutos
Origem: EUA

Sinopse: Uma agente do FBI se une à uma detetive de Boston para investigar um traficante de drogas.

As Bem-Armadas

Faça o seguinte: Pegue Oliver Hardy e Stan Laurel, adicione uma pitada de Bud Spencer e Terence Hill, misture com Miss Simpatia e refogue com Deu a Louca nas Federais. Leve ao forno por 117 minutos e pronto: O novo filme de Paul Feig, As Bem-Armadas está pronto.

Uma salada de clichês, As Bem-Armadas é um filme tão previsível, quanto o fato de ter sido um sucesso de bilheteria nos Estados Unidos. O diretor Paul Feig era mais conhecido por seu trabalho como ator, até que dirigiu o hit Missão Madrinha de Casamento, que custou cerca de 32 milhões de dólares e arrecadou quase 170 milhões, só nos EUA. Esse filme, que entrou em cartaz em 2011, é uma cópia descarada de Se Beber Não Case, de Todd Phillips, sendo que estrelado por mulheres. Apesar de ser protagonizado por Kristen Wiig, o grande destaque de Missão Madrinha de Casamento é Melissa McCarthy, que já popular por conta da personagem Molly, do seriado Mike & Molly da Warner.

Bullock e McCarthy provando que química não é tudo.
Tendo em vista o que foi exposto, lógico que os estúdios iriam querer reunir a dupla Feig/McCarthy novamente. Como a atriz não funciona sozinha, pois precisa de uma escada para suas costumeiras piadinhas infames e o diretor de uma roteirista (Feig não tem muito jeito pra coisa, já que foi o responsável principal pelo fracasso de Freaks & Geeks, série sobre Nerds que tinha tudo pra dar certo e trazia Seth Rogen e James Franco no elenco), o caminho lógico era chamar a badalada Sandra Bullock e a novata roteirista Katie Dippold. Afinal McCarthy, Bullock e Dippold já estavam afim de fazer algo juntas antes mesmo do projeto As Bem-Armadas ser anunciado.

Com esta receita de sucesso, As Bem-Armadas (que seria lançado em abril, mas foi tão bem recepcionado pelos executivos da Fox, que foi adiado para a temporada de verão estadunidense) já faturou quase 160 milhões só na terra do Tio Sam, sem contar com as vendas de Blu-Ray e a bilheteria no resto do mundo. O filme, que custou 43 milhões, já se pagou há tempos e já tem uma sequência anunciada, As Bem-Armadas 2, que será escrito por Dippold, com a dupla protagonista já confirmada no elenco.

Hardy e Laurel ou Spencer e Hill, em versão feminina?
As Bem-Armadas conta a história de Sarah Ashburn (Sandra Bullock), uma agente do FBI que, de olho em uma promoção, precisa investigar um cartel de traficantes de drogas em parceria com a detetive Shannon Mullins (Melissa McCarthy). Ashburn é a típica workaholic, sem parceiro, que vive para sua carreira e que fará de tudo para conseguir atingir seus objetivos, enquanto Mullins é uma policial de bairro encrenqueira e disposta a solucionar crimes na base da pancada. A dupla, apesar de clichê, funciona no filme. Bullock e McCarthy estão ótimas, cada uma em sua função (de escada e comediante). Acho que Feig não teve dificuldades em dirigi-las, já que nota-se uma independência em suas atuações, que fica visível pela experiência de Sandra Bullock (que já viveu um papel parecido com o de McCarthy em Miss Simpatia) e pelos cacos com os quais McCarthy presenteia a audiência à cada ato do filme.

Marlon Wayans, que foi duramente criticado por seu excesso de piadinhas sem graça em G.I. Joe : A Origem de Cobra (ele sequer retornou na sequência do filme, G.I. Joe : Retaliação), maneirou e passa despercebido. Ele quase que beirou o convencimento, mas já está com o filme demasiado queimado para reconsiderações. Já Tom Wilson, que anda mais ocupado dublando, volta à telona como o Capitão Woods para matar saudades de quem curtiu seu trabalho como Biff da série De Volta para o Futuro.

Olha o Tom aí gente... Lembra dele?
O roteiro de Katie Dippold é razoável. Repleto de citações à outros filmes e séries de TV (algo que está na moda e já começa a encher um pouco o saco), peca por ser hollywoodiano demais. Falta ousadia e foi feito pra agradar o espectador comum.

Destaco a trilha sonora, que é bem bacana. Jack White, Ted Nugent, Journey, Boston, Deee-Lite, entre outros criam o pretendido clima descolado que o filme quer passar. A abertura (e o encerramento também) tem um "Q" de filme dos anos 70, bem parecido como o de filmes como os da série Grindhouse de Robert Rodriguez e Quentin Tarantino.

Enfim, As Bem-Armadas é um filme comum, para um público comum. Deve agradar uns e outros. Vá assistir se não tiver mais o que fazer e se estiver com grana sobrando.

     Avaliação: Regular

Marlo George assistiu, escreveu e tem um detector de clichês em seu cerebelo.

TRAILER

0 comentários: