Albert Bouchard,

CRÍTICA [MÚSICA] : Fire of Unknown Origin - Blue Oyster Cült, por Andreas Cesar

00:20 Andreas César 0 Comments


Data de lançamento (no Brasil) : Junho de 1981

Álbum: Fire of Unknown Origin
Banda: Blue Oyster Cult
Gravadoras: Columbia
Produção: Martin Birch
Integrantes:

- Eric Bloom - vocal
- Donald Roeser - guitarra solo
- Allen Lanier - teclado
- Joe Bouchard - baixo
- Albert Bouchard - bateria


Eu tava cansado de só fazer resenha de bandas recentes, já fiz três do Green Day (confira AQUI, AQUI e AQUI) e uma do Pearl Jam, agora é a vez dos antigos, dos clássicos! Nunca ouvi o disco antes, então é tudo novidade, só conhecia uma música do álbum, a Burnin' For You, e já sabia mais ou menos o que vinha pela frente. Bom, vamos deixar de papo e curtir o som do início dos anos 1980:

Fire of Unknown Origin : A música é muito boa, uma guitarra eletrizante, baixo alinhadíssimo, vocal excepcional, bateria correta, teclado com um efeito muito bacana. A letra também é bem legal.

Burnin' For You : Essa aí fez parte da minha vida e vai continuar fazendo, é simplesmente um clássico de rock n' roll. Se as músicas de hoje em dia tivessem pelo menos um  traço dessa já tava bom, pena que como já disse na resenha de Lightning Bolt, a música está muito redonda hoje em dia, deixando muito a desejar. Adoro a letra, o teclado, a bateria, o baixo, ... Não vou falar nada, ouve a música, e fique feliz.

• Veteran of the Psychic Wars : O título é muito bom, o início é legal também. E a música se desenvolve bem, o lance que dá o diferencial na banda é com certeza o teclado. O tecladista, Allen Lanier, é muito bom mesmo, ele faz um som muito legal. Não sei o porquê, mas as músicas do disco estão me dando uma sensação de estar nos anos 1970, e olha que o disco é de 81!

• Sole Survivor: Essa aí tem uns vocais bem interessantes, principalmente os back vocals, a letra é maneira também. O riff dela fica na cabeça, assim como o refrão. Ela termina bem legal também. É uma música divertida, mas não considero um clássico

• Heavy Metal - the Black and Silver: É, a música não é só título, é bem heavy metal mesmo. A bateria foi meu foco na música, o Albert Bouchard arrebentou na música. A guitarra tem novamente um ritmo muito bom. Devo admitir que está difícil falar de um disco tão bom, eu não tô vendo defeito em nada.

• Vengeance (The Pact) : Muito boa a música, sem dúvida é um clássico. As músicas da banda estão todas superando minhas expectativas. O início é um pouco lento, mas o fim é de emocionar, e o legal é que ela é longa, mas não cansa.

 After Dark : Essa tem um baixo inicial que eu achei ruim, mas mesmo assim, depois de poucos segundos entra o resto da banda e fica boa. Na verdade, fica ótima! O refrão é novamente ótimo, como todos os outros do disco. É excepcional, vale a pena ouvir.

• Joan Crawford : A guitarra é bem animadora, não dá pra ficar parado ouvindo essa música. A canção tem um sintetizador ótimo, que se encaixa muito bem com a música. Pra mim, já não é novidade, o disco tá ótimo, já sei que não tem como piorar.

• Don't Turn Your Back : E pra terminar com chave de ouro, me chega uma música no mínimo eletrizante, no máximo perfeita, e acho que ela está no máximo. Cara, um disco perfeito desses não podia ser tão menosprezado. Fico bolado como ninguém que curte rock, nunca ter me falado sequer da banda. Bom, ta aí a dica, para de fingir que curte o verdadeiro rock n' roll e passe a curtir!Don't Turn Your Back pra esse disco, ele vale muito a pena.

Esse é um daqueles discos pra você botar pra rodar que não vai ter problema, tu se perde na música e faz o que acha legal ao mesmo tempo sem nem notar que as músicas estão passando. Mesmo tendo ouvido só esse CD inteiro dessa banda, já virei fã, e isso é muito difícil! Acho que só tem um problema nesse disco, é um estilo muito específico, quem curte curte muito, mas quem não curte, vai detestar, bom, aí fica a seu critério, esse disco eu vou guardar no meu coração com muito carinho.




Avaliação: Ótimo

Andreas Cesar ficou até tarde ouvindo o disco e sobrevivendo a uma guerra física e mental em sua cabeça, que estava queimando de alegria enquanto as músicas passavam

0 comentários: