Aaron Campbell,

CRÍTICA [QUADRINHOS] | O Sombra Volume I: O fogo da criação, por Jorge Caffé

10:10 Holtz Caffé 0 Comments


O álbum da Mythos - Capa dura, papel couche e
7 cards com os próximos lançamentos.
O Sombra começou como um personagem de rádio novela nos anos 30, sinistro e misterioso, fazendo justiça armado de duas pistolas e poderes ocultos como hipnose e manipulação mental. (Muito do estilo do personagem foi utilizado principalmente por Frank Miller em outro justiceiro noturno – O Batman) Criado por Brown Gibson, usando o pseudônimo de Maxwell Grant.  Teve algumas encarnações nos quadrinhos, e algum material já publicado aqui no Brasil. Tanto em uma Graphic Novels quanto na série “Os caçadores”.

Agora, a Mythos editora trouxe a nova encarnação do personagem, pela Dynamite comics, com Garth Ennis nos roteiros e Aaron Campbel na arte, e belíssima capa de Alex Ross.

A Segunda Guerra Mundial é rico pano de fundo para o mercado pop em geral. Filmes, livros, álbuns de rock e histórias em quadrinhos adoram beber dessa fonte. Talvez pelo ideal supremo de vilão de ficção ter ganhado vida na imagem de Adolf Hitler inspire e encante a tantos.

                Os quadrinhos, como já foi dito, não ficam para trás. Entretanto, na maioria das vezes vemos os nazistas como os mais terríveis vilões. Pouco se fala dos japoneses ou italianos. E esse é o primeiro mérito de Gart Ennis a frente desta nova série.

                Garth Ennis é conhecido por ser um autor contundente e polêmico. Sua principal obra até hoje, Preacher, é uma das séries mais controversas dos quadrinhos. Ao assumir o Sombra, porém, Ennis pareceu seguir um rumo um pouco mais comercial e aproveitar algumas das características do personagem ao seu favor. A primeira delas, é claro, a época em que Lamont Cranston (alter-ego do Sombra) vive. A década de 30. O álbum começa em 1938 e coloca o Sombra em rota de colisão com uma conspiração japonesa, comandada por um alto oficial do exército do imperador.

                Ao jogar o personagem no oriente, Garth não só dá continuidade a sua história como lança sementes para questionamentos sobre a verdadeira origem dos poderes de Lamont. O álbum funciona exatamente como deve e foi planejado: A abertura de uma série. A publicação de The Shadow, (título original da revista) continua em vento e popa lá fora, e faz parte de um universo que contém “O Aranha”, “Besouro Verde” e outros que inclusive formarão o grupo conhecido como “Máscaras”. Todos inclusive, na lista de publicados/a publicar da Mythos Editora.

                A Mythos tem mostrado uma maturidade excepcional na escolha de material alternativo e de qualidade para serem publicados no Brasil. Juiz Dredd, Dynamite comics, Conan e vários outros títulos, (além dos consagrados Fumetti) ganham cada vez mais espaço nas comic stores e bancas brasileiras.


Jorge Caffé, leu, escreveu, e também conhece o mal no coração dos homens...

0 comentários: