Crítica Cinema,

CRÍTICA [CINEMA] | "Trash: A Esperança Vem do Lixo", por Marlo George.

00:06 Marlo George 0 Comments

Muitos serão aqueles que irão aos cinemas de todo país achando que assistirão a mais um filme nacional estrelado pelos medalhões da cinematografia tupiniquim quando entrarem no cinema para sessões de "Trash: A Esperança Vem do Lixo". Ledo engano.

Trata-se, na realidade, de uma produção do Reino Unido, baseada em um livro do autor britânico Andy Mulligan. A direção é do também britânico Stephen Daldry e o roteiro do neo-zelandês Richard Curtis. Mais internacional, impossível. Porém, "Trash: A Esperança Vem do Lixo" é, por naturalização, um filme brasileiríssimo. Inteiramente rodado no Rio de Janeiro e protagonizado por três meninos cariocas, com o suporte dos astros brazucas Wagner Moura e Selton Melo, o longa demonstra de modo nada afetado, e sem seguir esteriótipos, a realidade de parcela da população da Cidade Maravilhosa, em especial, daqueles que dependem dos restos da civilização para retirar seu sustento, os catadores dos lixões.


Em "Trash: A Esperança Vem do Lixo" acompanhamos o drama de Raphael, Gardo e Rato, três garotos que se vêem no meio de uma trama que envolve um poderoso político, a minoria corrupta da polícia carioca e dois militantes políticos. Tudo por causa de uma carteira que Raphael encontrou em meio às latas, garrafas plásticas, chorume e todo tipo de detrito do lixão. A tal carteira continha a primeira pista que revelaria um código que poderia atrapalhar os planos eleitorais de um candidato ao governo do estado.

Não fosse pela sagacidade exagerada do trio de catadores de lixo mirins e por algumas situações complexas que eram rapidamente resolvidas, o roteiro seria primoroso. Ocorre que, três meninos como Raphael, Gardo e, muito menos, o desnutrido Rato, jamais resolveriam os problemas e enigmas do código que vêem perante eles. Por mais que eu tenha tentado suspender minha descrença, não consegui, uma vez que o tema tratado, e o cenário, são para mim, que vivo no Rio de Janeiro, muito familiares. Eu tenho plena convicção de que eles não teriam condições de fazer o que mostram na telona. É bem mais fácil engolir três pivetes desvendando códigos e revelando mistérios nos filmes da "Saga Harry Potter", que é uma fantasia, do que no mundo cão de "Trash: A Esperança Vem do Lixo".


Por outro lado, o filme é bem sucedido por ter permitido que os meninos improvisassem, por mais que lhes faltasse técnica para isso. Tudo que eles falavam e gesticulavam tinha origem em seu próprio vocabulário e costumes. Sendo assim, as falas e os maneirismos fluíam naturalmente. O diretor optou por ter no cast novos talentos e assim, Raphael (Rickson Tevez), Gardo (Luis Eduardo) e Rato (Gabriel Weinstein) acabaram tornando-se humanos, demasiadamente humanos e nada caricatos.

Quando ao restante do elenco, vale ressaltar as atuações dos pesos pesados do longa. Martin Sheen empresta seu talento como o padre Juilliard e é notável sua desenvoltura ao falar nossa língua (quiçá sua ancestralidade espanhola tenha alguma coisa a ver com isso). Ao lado de Rooney Mara, que interpreta a missionária Olivia, o padre de Sheen tem participação fundamental em cenas cruciais da trama. Wagner Moura também está muito bem, apesar de aparecer pouco no filme e o mesmo vale para Selton Melo. Foi legal, ver estes talentosos artistas darem passagem aos verdadeiros protagonistas do filme que são Tevez, Luis Eduardo e Weinstein.


Outro ponto alto de "Trash: A Esperança Vem do Lixo" é a forma como a violência é tratada. Diferentemente de outros longas do gênero a violência é pouco explorada. Quando ela acontece não é gratuita e é necessária para a narrativa. Olha aí os gringos, novamente, nos ensinando a fazer cinema, desta vez na nossa área...

O filme é encerrado com uma cena surreal e cheia de ironia, mesclando a esperança e o desespero de modo fascinante.

"Trash: A Esperança Vem do Lixo" é um dos melhores filmes do ano. Tomara que não passe batido internacionalmente. Seria muito legal ver um filme naturalizado brasileiro fazendo sucesso na gringa.



Marlo George assistiu, escreveu e surpreendeu com a malemolência do novo trio de atores cariocas que chegaram pra ficar.... tomara que o futuro lhes reserve uma carreira e não o ostracismo como costumeiramente acontece.




Data de lançamento: 09 de outubro de 2014.
Direção:  Stephen Daldry
Roteiro: Richard Curtis, Felipe Braga
Elenco: Rickson Tevez, Luis Eduardo, Gabriel Weinstein, Rooney Mara, Martin Sheen, Wagner Moura, Selton Melo
Duração: 114 minutos.
Gênero: Drama


Sinopse: Em uma trama de perseguições e corrupção, três meninos - Raphael, Gardo e Rato – encontram uma carteira no lixão onde vivem e decidem buscar a solução para o mistério que a rodeia. Quando se veem em uma aventura vertiginosa que envolve diretamente os personagens José Angelo (Wagner Moura), Frederico (Selton Mello) e Antonio Santos (Stepan Nercessian), os três vão precisar lutar contra inimigos poderosos. Durante a saga, contarão com a ajuda do pastor Julliard (Martin Sheen) e da professora de inglês Olivia (Rooney Mara).

0 comentários: