728x90 AdSpace

  • Nerd News

    segunda-feira, 21 de setembro de 2015

    CRÍTICA [WWE] | "Night of Champions - 2015", por Andreas Cesar

    O Pay-Per-View da WWE, Night of Champions, que foi ao ar dia 21 de setembro de 2015 era muito aguardado pelos fãs de luta livre, principalmente pelas lutas que Seth Rollins teve durante o evento, defendendo tanto o título norte-americano quanto o título mundial peso-pesado da WWE. Seth Rollins falhou em defender o título dos USA, mas conseguiu sair do Night of Champions ainda como campeão da WWE.

    A noite começou com o combate entre Neville, juntamente com Lucha Dragons, contra Stardust, que combatia ao lado de The Ascension. Foi uma luta bem divertida, tendo como vencedores Stardust e Ascension. Era o começo de um bom PPV, marcado por várias mudanças de títulos.

    Todos os cinturões foram disputados no evento, começando pelo título Intercontinental. Ryback fracassou ao tentar defender seu cinturão, devido a um toque irregular de Kevin Owens que, com o juiz não tendo visto tal irregularidade, conseguiu seu primeiro título realmente importante na World Wrestling Entertainment. A luta, apesar deste toque, estava bem disputada e Owens mostra que não é somente uma promessa no futuro da WWE, mas sim um bom lutador no presente.

    A luta seguinte não foi de títulos, tendo sido mais um confronto entre Dolph Ziggler e Rusev. Já foram vistas inúmeras lutas entre os dois superastros, tendo esta sido somente mais uma luta enjoativa nessa rivalidade que já durou tempo demais...


    A volta dos Dudley Boyz a uma luta pelo título de Tag Team da WWE foi bem divertida de assistir. Apesar do trio New Day conseguir dominar a partida durante pouco tempo, assim que os Dudleys começaram a revidar, Xavier Woods invadiu o ringue, fazendo seu trio perder por desclassificação, mas conseguindo assim continuar com o título, devido a vantagem dos campeões, que diz que um campeão não perde títulos por desclassificação ou time out.

    A luta pelo título de Divas ocorreu entre Nikki Bella, que tem o recorde de reinado mais longínquo deste título, e Charlotte, filha do renomado Ric Flair. Charlotte dominou o combate, vencendo a luta com o famoso golpe do pai, o Figure Four Leglock. Justo.

    Após isto, veio então mais uma luta entre a família Wyatt contra Roman Reigns e Dean Ambrose. A promessa de um terceiro membro dupla de Ambrose e Reigns foi a grande promessa para este combate, e a surpreendente volta de Chris Jericho foi, inicialmente, emocionante. Contudo, a luta não foi boa e mostra novamente que as rivalidades da WWE são repetitivas e previsíveis.


    Então começaram os eventos principais do PPV.

    Seth Rollins, ex-membro da Shield, teria de defender seus dois títulos. O título norte-americano foi o primeiro a ser disputado por Rollins, contra John Cena. A luta foi perfeita, ambos os lutadores deram tudo de si no combate, com golpes muito bem executados e por um momento pensei que o campeão iria continuar com seu título. Entretanto, um Attitude Adjustment de John Cena bastou para tirar o cinturão de Seth Rollins.

    Logo em seguida entrou Sting e começou a luta pelo título mundial peso-pesado da WWE. Uma luta ruim que mostrou que infelizmente o ex-campeão da WCW, Sting, deveria buscar o caminho da aposentadoria, e não dos ringues. Além de sair lesionado da luta, Sting foi lento na execução dos golpes e não empolgou, tendo feito Seth Rollins sair facilmente com o título da WWE.

    Só que a noite não acabou por aí.

    Ao final da luta contra Sting, Sheamus apareceu com o contrato que ganhou no Money in the Bank, que o dava direito a uma luta pelo título da WWE. Foi então que Seth Rollins se desesperou e, logo em seguida, levou um Brogue Kick do guerreiro celta. Parecia ser o fim de ambos os cinturões do Arquiteto Rollins, mas surgiu então uma esperança. Antes de começada a luta do contrato, retornou Kane para salvar Seth.

    Apesar de Kane ter impedido a ocorrência de uma luta pelo cinturão da WWE, que sem dúvida iria tirar o título de Rollins, o Monstro Vermelho não deixou o ringue sem bater em Rollins e Sheamus. Terminava então o Pay-Per-View.

    Night of Champions foi um PPV divertido e que cumpriu com a promessa de divertimento, apesar de algumas lutas chatas, tendo um rendimento muito positivo.


    Andreas Cesar está decepcionado pela perda do título norte-americano de Seth Rollins, já que este é um grande fã do astro.
    • Comente no site
    • Comente no Facebook

    0 comentários:

    Postar um comentário

    Item Reviewed: CRÍTICA [WWE] | "Night of Champions - 2015", por Andreas Cesar Rating: 5 Reviewed By: Andreas Cesar
    Scroll to Top