728x90 AdSpace

  • Nerd News

    quarta-feira, 28 de outubro de 2015

    CRÍTICA [CINEMA] | "Straight Outta Compton: A História do N.W.A.", por Marlo George.

    Thug life é um dos diversos modismos enfadonhos da internet. Daí que um  filme que mostra exatamente a gênese da glamourização dessa moda tem tudo pra dar certo, concorda?

    Ocorre que o filme "Straight Outta Compton: A História do N.W.A.", dirigido pelo competente F. Gary Gray é de uma autenticidade à flor da pele e está longe de ser mais um caça-niqueis aproveitador de tendências. Ele é tão autentico que faz com que essa cinebiografia do grupo de rappers marginais americanos N.W.A., se torne um dos melhores filmes do ano. Isso não se dá apenas pelo vasto conhecimento do tema por parte do diretor, que já trabalhou com Ice Cube e Dr. Dre (membros do N.W.A.) no passado, mas por diversos fatores.

    O primeiro deles é o trabalho primoroso da direção de arte que simplesmente recriou, com perfeição a época em que o filme é passado: O final dos anos 80 e início dos 90. Quem viveu a época certamente irá fazer uma viagem no tempo ao rever na telona tudo aquilo que, mesmo que não tenha mudado muito, caracterizava aquela geração. Primoroso.

    Logo em seguida temos o roteiro, muito bem escrito por Jonathan Herman e Andrea Berloff ( dos vindouros "Ghost in the Shell" e "The Legend of Conan", respectivamente), baseado na história co-escrita por Berloff, S. Leigh Savidge (The Legend of Dolemite) e Alan Wenkus (Férias do Barulho). Eles conseguiram contextualizar as cenas com dinamismo. Por exemplo, o processo de composição das letras controversas de Ice Cube, ainda no início de carreira, é mostrado fazendo paralelos com suas experiências pessoais. Com isso, o filme não precisou ficar explicando o que era a base filosófica do N.W.A., ele faz com que o expectador testemunhe o contexto. Além, é claro, da história ser muito boa mesmo.


    O elenco principal é inexperiente, mas encarou a responsabilidade de personificar as lendas do rap com seriedade, entregando um trabalho bem decente. O'Shea Jackson Jr., filho de Ice Cube, interpreta o pai com tanta fidelidade que em alguns momentos eu me peguei achando que estava vendo o próprio Cube na telona. Este é o primeiro filme de O´Shea. Corey Hawkins (Dr. Dre) e Jason Mitchell (Eazy E) tem um pouco mais de  bagagem, mas este também seu primeiro filme de destaque. O casting também mandou bem ao escalar atores muito parecidos com ícones do pop como Tupac e Snoop Dogg, que aparecem pouco, mas são facilmente reconhecíveis.

    Além disso, apesar de ser uma cinebiografia, "Straight Outta Compton: A História do N.W.A." não soa como um documentário. O filme já começa frenético e mantém o ritmo até a conclusão, quando vemos uma bonita homenagem em vídeo à importância da N.W.A. no rap atual.

    Um dos problemas é que são poucos números musicais, e quase todos são interrompidos , possivelmente para não deixar o longa arrastado ou com metragem além da medida, porém isso não é nada que uma versão estendida não resolva.

    Gostei demais, pode ir assistir que "Straight Outta Compton: A História do N.W.A." é divertido, empolgante, dramático e sedutor.



    Marlo George assistiu, escreveu e na adolescência só curtia Run-DMC.
    • Comente no site
    • Comente no Facebook

    0 comentários:

    Postar um comentário

    Item Reviewed: CRÍTICA [CINEMA] | "Straight Outta Compton: A História do N.W.A.", por Marlo George. Rating: 5 Reviewed By: Marlo George
    Scroll to Top