Brad Delson,

CRÍTICA [MÚSICA] | The Hunting Party - Linkin Park, por Andreas Cesar.

01:18 Andreas César 12 Comments

Linkin Park é uma banda que eu nunca entendi. Aqueles gritos desnecessários em suas músicas unidos a um vocal melódico, parecendo que o cara quer chorar não fazem sentido. Essa combinação não dá certo, ainda mais quando unida a uma guitarra que não faz solos e quer mostrar-se pesada, quando fica totalmente fora do estilo da banda. Claro que antes de começar a ouvir o disco mantive a esperança que os caras crescessem musicalmente. De certa forma cresceram, mas continua chato.

"Uma banda composta por bons músicos, mas que infelizmente peca na criatividade, tornando o disco chato e repetitivo"

O problema da banda são os berros e a mudança radical no clima da música, numa hora estão calminhos, e de repente um grito do nada ou uma guitarra brusca muda todo o clima, de uma forma que irrita. E o que mais incomoda é que fica na cara que os caras tocam bem, mas querem fazer esse estilo porque se acomodaram à ele. Se eles focassem em fazer músicas fora desse estilo, o qual são um dos fundadores, eles poderiam ser uma banda como o Coldplay é, que agrada aos ouvidos, apesar de não ficar na minha lista de favoritos.

A música deles é problemática porque não se decide. E quando digo isso não é falando do gutural e do vocal meloso de repente, mas sim da mistura de rap e rock, que ao invés de fazerem os dois unir-se de forma coerente, como o Run DMC, eles simplesmente unem os dois estilos sem mais nem menos. Não tem um trabalho por trás para fazer ficar legal sonoramente, é como se os caras pensassem: "Gostamos de rap e rock, vamos unir e dane-se, é o que queremos fazer!"

Mas, tem um probleminha pequenininho nisso tudo. Rock n' Roll tem que ter solo!

Claro, aí já vão querer dar a justificativa: punk não tem solo! Não tem solo, mas tem uma ideologia, e existem músicas punk com solo, é só procurar direitinho, é até fácil achá-las. Mas, voltando, essa banda não tem uma ideologia, logo, a falta de solo é algo bem significativo para mostrar a criatividade dos músicos da banda, e isso é algo que os caras do Run sabiam muito bem. E aliás, não venha me dizer que aqueles riffs são solos.

O disco The Hunting Party não é um álbum para se guardar na memória, mas sim um caça-níquel para tocar na VH1 ou MTV por alguns meses. Contudo, não é de todo ruim, podendo ser aproveitado o talento que o baterista tem, que foi sem dúvida o melhor integrante de uma banda que não é composta de músicos tecnicamente ruins.


Andreas Cesar ouviu e não curtiu a banda se plagiar. As músicas Wastelands e Guilty All The Same tem partes extremamente parecidas

Artista : Linkin Park
Álbum : The Hunting Party
Data de lançamento : 13 de junho de 2014
Duração : 00:45:12
Gravadora : Warner Bros., Machine Shop
Produção : Brad Delson, Mike Shinoda, Emile Haynie, Rob Cavallo
Integrantes :
- Chester Bennington : vocal
- Rob Bourdon : bateria, percussão
- Brad Delson : guitarra solo
- Dave Farrell : baixo
- Mike Shinoda : vocal, guitarra ritmo, teclado

12 comentários:

  1. Puta.......que.....pariu '-' quem escreveu isso? eles poderiam ser uma banda como o Coldplay??????? ._. (nada contra o coldplay) eu não sei oq dizer dessa crítica...deve ser de uma ex-mulher do Chester só pode....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O sentido que falei para ser uma banda parecida com Coldplay não foi dizer que as músicas são parecidas, muito pelo contrário, foi no sentido de que é uma banda com um estilo próprio que infelizmente não é legal de ouvir, diferente do Coldplay, que tem um estilo próprio legal de escutar até pra quem não é fã da banda

      Excluir
    2. Ou seja, o Coldplay é a banda mais acessível do mundo hoje e a mais chata tanbém, faz música para agradar até quem não é fã, esse disco do Linkin Park não, vai pela contramão do que é feito no Rock mainstream hoje, e isso é ótimo, quanto mais desagrar a massa falida de hoje em dia melhor.

      Excluir
  2. kkkkkkk wastelands parecida com guilty all The same n sei daonde tirou isso

    ResponderExcluir
  3. Caramba! Você chama isso de resenha, cara?! Tu tens que pautar as tuas críticas em algo mais profissional, ao invés de querer impor implicitamente o teu gosto musical, a saber, uma sonoridade "certinha", homogênea. A prova de que a junção de rap e rock dá certo são os dois primeiros álbuns e agora o último do LP. Primeiramente, embase o seu dizer em critérios musicais, pra não ficar querendo impor um critério estritamente pessoal.

    ResponderExcluir
  4. O pior de tudo isso que você escreveu foi querer equiparar o critério criativo do Coldplay com o do LP esquecendo de que o Coldplay é bem mais comercial (usa um pouco de Sigur Rós, mas ainda assim bem comercial), e, por isso, e não pela "homogeneidade", agrada mais aos fãs. Enfim... Se prepare mais antes de falar.

    ResponderExcluir
  5. Sabe de nada inocente. Deve gostar de katy perry e justin biba. Por que não tem fundamento nenhum sua analise, ou você não sabe nada de música

    ResponderExcluir
  6. Quem entende de musica sabe que, nao é um otimo album, mas nao dá pra crucificar os caras... Regular. Pra mim o melhor deles até agora, e eu gostei.

    ResponderExcluir
  7. Tu de música percebes muito pouco, o álbum não é nada do extraordinário mas no geral está bastante bom até, as guitarras estão estão excelentes, e o álbum é bastante sólido, eu particularmente o trabalho que menos gostei deles foi o living things, aquilo não faz o meu tipo de sonoridade e está demasiado comercial, quanto a esta análise acho que está muito subjectiva.
    Se fosse a ti limitava-me a analisar os albums da nicky minaj.

    ResponderExcluir
  8. Claro que toda crítica tem, sim, um pouco do gosto pessoal do autor. mas essa crítica foi feita por alguém que não gosta de Linkin Park e que não gosta do estilo de som da banda. Algo completamente errado para uma crítica de um trabalho.

    ResponderExcluir