728x90 AdSpace

  • Nerd News

    quarta-feira, 8 de junho de 2016

    CRÍTICA [CINEMA] | "Casamento de Verdade", por Marlo George


    Deixando de lado a insistência de posições injustificadamente intolerantes, os gays já estão integrados na nossa sociedade. Quem não aceita ou não tolera isso vai ter que superar tal posicionamento. Ser gay já deixou de ser um tabu e o casamento gay se ainda é, mais cedo, mais tarde, deixará de ser também.

    Deste modo, a trama de 'Casamento de Verdade', segundo filme da diretora Mary Agnes Donoghue, que trata justamente de um casamento entre duas mulheres, é bastante atual.

    Com climão leve dos filmes matutinos da TV, 'Casamento de Verdade' conta a história de Jenny (Katherine Heigl), que não aguentando mais viver uma mentira, decide sair do armário assumindo seu relacionamento com Kitty (Alexis Bledel). As duas vão se casar e isso foi o suficiente para virar a família de Jenny de cabeça pra baixo. Afinal, uma revelação dessas, especialmente quando é inesperada, provoca as mais diversas reações. E é perdida em meio à intolerância e a indiferença que Jenny vai tocando a vida, enquanto faz os preparativos de seu casamento.

    Bonitinho e romântico, 'Casamento de Verdade' se abstém de cenas picantes desnecessárias que poderiam maculá-lo e jogá-lo no limbo de filmes que são um desserviço ao bom-gosto como 'Azul é a Cor mais Quente'. A diretora, que também escreveu o roteiro, não lançou mão de mensagens panfletárias ou pedagógicas sobre o assunto, o que seria bastante inconveniente.

    Porém, os clichês e situações previsíveis acabam prejudicando o filme. Não é tarefa muito complicada saber pra que lado seguirão não só a trama principal como todas as sub-tramas de 'Casamento de Verdade', tornando-o enfadonho, chato mesmo.


    Modesto em termos de produção, o longa conta com Katherine Heigl como a protagonista Jenny. Heigl é uma velha conhecida das comédias românticas e está muito autêntica em seu papel. Ela passa muita verdade ao encarnar uma mulher com tantos temores que precisa superá-los para poder viver plenamente. Já a atriz que vive sua parceira, Alexis Bledel, ainda não convence. É bonita, mas sempre parece "pasteurizada". Isso pode até passar despercebido na TV, mas na telona não rola.

    Tom WilkinsonLinda Emond estão fantásticos como os pais de Jenny e chegam a tomar para si o protagonismo do filme em alguns momentos. Os dramas e situações pelas quais suas personagens se vêem arroladas são muito bem retratadas por estes talentosos atores.

    'Casamento de Verdade' é, apesar dos problemas de roteiro que apresenta, especialmente indicado para aqueles que ainda tem dificuldade em entender que o amor não se escolhe, afinal, ele está no ar.



    Marlo George assistiu, escreveu e já dançou a conga.
    • Comente no site
    • Comente no Facebook

    0 comentários:

    Postar um comentário

    Item Reviewed: CRÍTICA [CINEMA] | "Casamento de Verdade", por Marlo George Rating: 5 Reviewed By: Marlo George
    Scroll to Top