728x90 AdSpace

  • Nerd News

    terça-feira, 29 de julho de 2014

    CRÍTICA [CINEMA] | Guardiões da Galáxia, por Marlo George.

    O Universo Cinematográfico baseado nos personagens da Marvel (que a Walt Disney Pictures transformou em um negócio viável, interessante e lucrativo) já rendeu filmes ótimos como Homem de Ferro, Os Vingadores, Thor: O Mundo Sombrio e Capitão América 2: O Soldado Invernal. Todos os outros não passam de filmes regulares, que só tem alguma importância por sua conexão com o demais.

    A bola da vez é o filme Guardiões da Galáxia, que nos traz o universo galáctico da Marvel para as telonas e o resultado é praticamente excelente. Guardiões da Galáxia é bem sucedido em tudo que se propõe. E quando digo tudo, é tudo mesmo...

    Mas este resultado bem sucedido é fruto de várias apostas que a Marvel Studios fez. Algumas bastante arriscadas.


    Uma destas apostas foi entregar Guardiões da Galáxia nas mãos do inconsistente James Gunn, que dirige o filme e co-escreveu o roteiro com Nicole Perlman. Não curto o trabalho de Gunn na direção. Acho que ele é melhor escrevendo que empunhando o megafone. Porém, Gunn mostrou a que veio, comandando com zelo cada uma dos aspectos da produção e nos entrega um filme esperto. Tanto é que ele já foi confirmado como diretor da sequência do filme em anuncio feito na San Diego Comic-Con de 2014.

    Outra aposta arriscada foi decidir apresentar o Universo Galáctico da Marvel em um filme Sci-Fi, de ação e aventura, porém que tivesse uma veia cômica. Outro acerto. Filmes de ficção científica geralmente sofrem rejeição do público que não é fã do gênero por se levarem à sério demais. Ao decidirem por um filme com ação frenética e piadas ácidas, o fato de ser um filme Sci-Fi passa despercebido e assim a Marvel mostra seu lado espacial ao público geral sem deixar a impressão de que esta faceta de seu universo é chata.


    Porém, a mais perigosa das apostas feitas pela Marvel foi fazer um filme com um grupo de heróis que é totalmente desconhecido do público, até mesmo de alguns dos fãs mais antigos dos quadrinhos. Que o Homem de Ferro, o Thor e o Gavião Arqueiro não eram tão famosos quanto o Homem-Aranha ou o Wolverine, antes de os filmes que os tiraram do ostracismo fossem lançados, nós já sabemos. Porém, eles não eram completos desconhecidos. Estes tais Guardiões da Galáxia por outro lado, quase ninguém tinha ouvido falar.

    E foi justamente esta a carta que a Marvel guardava na manga. Após nove filmes com personagens conhecidos, eles apresentam um longa com heróis desconhecidos, que não usam a fama das hq´s e animações anteriores como muleta (como foi o caso do Thor, em seu primeiro filme), mostrando que o estúdio pode apostar em produtos que não sejam unica ou necessariamente baseados em seu cânone dos quadrinhos. Se a Marvel Studio quiser, pode investir em produções diversas de seu famoso universo ficcional e expandir seu território como produtora de grandes filmes.

    Bingo!

    Um filme pra ser visto no cinema.

    Por ser uma aventura espacial, cenas de luta entre naves espaciais são, digamos, obrigatórias. O pessoal dos efeitos especiais e edição de som nos presentearam com batalhas de tirar o fôlego. Se você curtiu a batalha de Tony Stark e sua turma contra os Chitauri em Os Vingadores, acredito que ficará satisfeito com as batalhas de Guardiões da Galáxia.


    Guardiões da Galáxia também mandou muito bem nos figurinos e maquiagem. Alguns personagens, em especial alienígenas, parecem terem sido arrancados das páginas dos quadrinhos e jogados na telona. As locações virtuais são bem resolvidas, em especial a prisão espacial. A paleta de cores usada ousa em cores contrastantes, dando um visual muito bonito ao filme como um todo.

    'Simplesmente o melhor filme da Marvel até o momento.'

    A trilha sonora incidental segue o padrão de qualidade MarvelTyler Bates que já tinha sido o responsável pela espetacular trilha de Watchmen, de 2009, nos agraciou com temas que complementam a ação e são muito presentes no filme. Destaque também para as canções pop que rolam em Guardiões da GaláxiaBlue Swede, David Bowie, Jackson 5, The Runaways e Marvin Gaye são alguns dos artistas preferidos do Senhor das Estrelas (Chris Pratt) e dão um toque meio "Cowboy Bebop" ao filme.


    O elenco é afiado. Temi quando do anuncio de Zoe Saldana para o papel de Gamora, pois achei que não funcionaria colocar a mesma atriz que interpretou uma alienígena azul em Avatar para fazer uma alienígena esverdeada em Guardiões da Galáxia. Ledo engano, Zoe passa longe da Neytiri do filme de James Cameron e mostra, mais uma vez, que sabe como compôr uma boa personagem, algo que vem ficando cada vez mais raro. Além disso a atriz está sensual ao extremo, sem ser vulgar.

    O brutamontes Dave Bautista ficou ótimo como o maníaco espacial Drax e, apesar de não ser um ator experimentado, chega a roubar a cena em diversos momentos. Arrisco a dizer que sem ele, o filme perderia um pouco a graça.


    Falando em roubar a cena, Vin Diesel e Bradley Cooper emprestam suas vozes para Groot e Rocky. Diesel e Cooper deram conta do recado, estão hilários e irreconhecíveis. Groot não é um personagem com um vocabulário extenso, mas cada vez que ele profere seu bordão, o faz de modo único, arrancando muitas gargalhadas da platéia. Seu jeitão inocente e grandalhão é encantador. Já Rocky é um baixinho folgado, rude, falastrão e cheio de si. Ele é o dono das melhores falas do filme. Sempre que algum personagem dá uma deixa, ele manda uma piada certeira.


    Chris Pratt é o protagonista do filme, mas ao contrário do que acontece em O Homem de Ferro, por exemplo, ele não é uma onipresença. Pratt sabe bem seu lugar (coisa que Robert Downey Jr. ignora) e dá espaço para que seus colegas possam brilhar também. Ele faz um malandro do espaço que se auto-intitula "Senhor das Estrelas". O personagem não passa de um bon vivant que vaga pelo espaço em busca de grana fácil e garotas aliens. Pratt caiu como uma luva no papel. Tem experiência em comédia e até perdeu peso, e ganhou músculos, para viver o personagem.

    John C. Reilly, Benicio Del Toro e Glenn Close fazem participações especiais. Aparecem pouco, mas suas personagens são importantes dentro do contexto do Universo Cinematográfico Marvel e devem retornar em outros filmes. Michael Rooker encarnou um personagem com tons de cinza, que é ao mesmo tempo apaixonante e detestável.


    O núcleo do mal é comandado por Lee PaceKaren Gillan e Josh Brolin. Pace interpreta Ronan, O Acusador, que é um ser da raça Kree que pretende destruir um planeta. Para isso ele busca a ajuda de Thanos (Brolin) que promete ajudá-lo na empreitada se Ronan lhe der um artefato poderoso que está na posse de um dos heróis do filme. Ambos estão ameaçadores, em especial Ronan, que usa uma maquiagem de guerra medonha. Já Karen Gillan (ainda em cartaz em O Espelho) é a filha de Thanos, Nebulosa, uma garota vil que não se importa em matar seja lá quem for para obter o que quer.

    Enfim, Guardiões da Galáxia é simplesmente o melhor filme da Marvel até o momento. É um longa que começa trágico, com uma introdução maravilhosa, com cara de história em quadrinhos. Depois se torna uma aventura fanfarrona e heroica que descamba em uma guerra interplanetária impecável. E termina de forma primorosa, mostrando que o futuro dos heróis da Marvel no cinema ficará cada vez mais sombrio, pero sin perder la ternura jamás.

    Um filme para se assistir no cinema. Programa recomendadíssimo.


    Marlo George assistiu, escreveu e achou legal a citação, nos créditos, de que nenhum guaxinim ou árvore foi mau tratada na produção...





    Data de lançamento: 31 de julho de 2014
    Estúdio: Walt Disney Pictures 
    Diretor: James Gunn 
    Roteiro: James Gunn, Nicole Perlman
    Elenco: Chris Pratt, Zoe Saldana, Dave Bautista, Vin Diesel, Bradley Cooper, Lee Pace, Michael Rooker, Karen Gillan, Djimon Hounsou, John C. Reilly, Glenn Close, Benicio del Toro 
    Gênero: Ação, Aventura, Comédia
    Cena pós-crédito: Não sabemos (na cabine de imprensa não foi exibida, porém rumores indicam que nas sessões regulares irá ter)

    Sinopse: Da Marvel, o estúdio que trouxe franquias globais campeãs de bilheteria como Homem de Ferro, Thor, Capitão América e Os Vingadores - The Avengers, chega uma nova equipe - os Guardiões da Galáxia. Uma aventura espacial com muita ação, Guardiões da Galáxia da Marvel expande o Universo Cinemático Marvel para o cosmo, onde o impetuoso aventureiro Peter Quill se vê como objeto de uma caçada implacável após roubar uma misteriosa esfera cobiçada por Ronan, um vilão poderoso com ambição que ameaça todo o universo. Para fugir do determinado Ronan, Quill é forçado a fazer uma complicada aliança com um quarteto de desajustados - Rocket, um guaxinim atirador, Groot, uma árvore mutante humanoide, a mortal e enigmática Gamora e o vingador Drax, o Destruidor. Mas quando Quill descobre o verdadeiro poder da esfera e o perigo que ela representa para o cosmo, ele deve fazer seu melhor para reunir seu grupo desorganizado para uma última e desesperada resistência - com o destino da galáxia em jogo.
    • Comente no site
    • Comente no Facebook

    0 comentários:

    Postar um comentário

    Item Reviewed: CRÍTICA [CINEMA] | Guardiões da Galáxia, por Marlo George. Rating: 5 Reviewed By: Marlo George
    Scroll to Top