728x90 AdSpace

  • Nerd News

    sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

    CRÍTICA [MÚSICA] | "Blue & Lonesome" - Rolling Stones, por Andreas Cesar.

    É muito comum os fãs mais radicais escolherem entre os Stones e os Beatles e terem uma das duas bandas como a melhor, além de, literalmente, nunca escutar a outra, como se houvesse uma guerra entre os grupos. Isso é não somente uma das maiores burrices que alguém pode fazer como também um desrespeito a ambas as bandas (lembrando que os membros das duas eram amigos).

    Sempre fui um grande Beatlemaníaco, e era de se esperar que eu entrasse nessa guerra. Por volta dos 11 a 13 anos eu até entrei, mas quando comecei a escutar Stones com mais atenção, vi a grande estupidez que havia feito durante dois anos de minha vida. Uma banda com "As Tears Go By" e "Angie" não é pra brincadeira, e por isso e muitos outros clássicos está entre as minhas três bandas preferidas de rock de todos os tempos, equivalendo-se aos The Beatles e ao The Who.

    A banda mostra-se incrível durante todo o álbum. É um disco sem erros.

    Um problema que muitas bandas enfrentam, entre elas o Rolling Stones, é a queda de material relevante com o tempo. Ou seja, discos fracos depois de um certo tempo, esse variando de banda pra banda. A decisão mais acertada dos Stones em "Blue & Lonesome" foi gravar um disco só de covers, ao fazer versões muito boas de músicos como os mitos Howlin' Wolf e Willie Dixon.

    O disco é recheado de interpretações incríveis de clássicos do gênero Blues, que é o predecessor direto do Rock n' Roll tradicional. Os vocais de Jagger são maravilhosos e unidos à guitarra de Richards e Wood e a bateira de Watts, mostram que, às vezes, quanto mais velho, melhor. A coesão da banda é tão incrível que mostra o motivo de conseguirem conviver durante tanto tempo juntos. A gaita de Jagger arrepia em muitas músicas...


    A presença de Eric Clapton em "Everybody Knows About My Good Thing" e "I Can't Quit Baby" é, certamente, notável, e os solos são perfeitos, como era de se esperar de qualquer um dos guitarristas que compõem o trio nessas músicas. A banda como um todo mostra-se incrivelmente boa durante todo o álbum.

    Não há muito o que dizer sobre o novo álbum dos Stones, além de que não há erros. Lançar material novo poderia dar muito errado, como foi o caso do Bon Jovi, ou muito certo, como deu com o Kansas, mas fazer um álbum cover de blues mostrando que quem sabe, faz... Isso não tinha como dar errado de modo nenhum. Claro que eu sei da potência que os Stones tem de fazer discos incríveis, mas convenhamos, eles já fizeram álbuns bem regulares.


    Andreas Cesar ouviu, criticou e curtiu muito o novo álbum dos Stones. Sem dúvida menos é mais e fazer um novo álbum era muito arriscado...
    • Blogger Comments
    • Facebook Comments

    2 comentários:

    1. Eu também acho uma burrice essa guerra idiota entre beatlemaníacos e stonesmaníacos radicais. Me parece uma coisa meio infantil. Agora, Blue & Lonesome é simplesmente ESPETACULAR! Já escutei o disco umas dez vezes, sei lá.... Bicho, acho que vou pirar de vez! Waw!

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Realmente é uma bobeira a briga, o melhor é aproveitar ambas as bandas, até porque as duas tem muito a oferecer!

        Excluir

    Item Reviewed: CRÍTICA [MÚSICA] | "Blue & Lonesome" - Rolling Stones, por Andreas Cesar. Rating: 5 Reviewed By: Andreas Cesar
    Scroll to Top