728x90 AdSpace

  • Nerd News

    quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018

    [LISTAS PP] | Super filmes protagonizados por afrodescendentes, por Kal J. Moon

    Com a estreia do filme "Pantera Negra" - que já assistimos e você pode ler nossa crítica clicando AQUI -, muitas pessoas podem pensar, erroneamente, que este é o primeiro longa-metragem de super-heróis - ou baseado em quadrinhos - protagonizado por negros (é o primeiro com elenco majoritariamente afrodescendente, é verdade). Então, resolvemos criar essa listinha simpática com os antecessores do protagonismo negro nas telonas. Lembrando que não entraram filmes da Marvel Studios como "Homem de Ferro", "Capitão América - O Soldado Invernal", dentre outros, por conta do membros do elenco afrodescendente não ter papel de protagonismo, okay? O mesmo vale para a franquia dos "X-Men" nos cinemas... Vamos lá?


    1) Homem Meteoro
    ('Meteor Man', 1993) - Um professor de Washington (DC) numa turbulenta vizinhança se transforma num super-herói após a queda de um meteoro e enfrenta uma gangue que aterrorizava as ruas. O filme é escrito, dirigido e estrelado por Robert Townsend (mais conhecido por sue trabalho na série "The Parent' Hood", inédita no Brasil).

    No elenco, participações do saudoso Robert Guillaume (do seriado 'O Poderoso Benson'), James Earl Jones (a célebre voz de Darth Vader), Don Cheadle (que hoje interpreta o herói Máquina de Combate nos filmes da Marvel), o comediante Bill Cosby e o igualmente saudoso Frank Gorshin (que foi o vilão Charada da série 'Batman' de 1966) - o comediante Chris Tucker faz a voz de um MC numa cena em um shopping. Curiosidade: Apesar de não ser um filme baseado em quadrinhos, em agosto de 1993, a Marvel Comics lançou a primeira edição do gibi, com roteiro de Dwight D. Coye e Bertram B. Hubbard, com arte de Robert Walker e Jon Holdredge - além da versão em quadrinhos da história do filme com a mesma equipe criativa.

    2) Blankman - Um Super-Herói Muito Atrapalhado ('Blankman', 1994) - Um tímido e inocente inventor decide combater o crime como um super-herói com uma roupa à prova de balas - com um cobertor enrolado no pescoço - além de apetrechos de baixíssimo orçamento, se metendo em muitas confusões. Pode parecer ridículo - e é, uma vez que é uma paródia ao universo dos super-heróis - mas lembre-se que uma premissa semelhante inspirou, anos depois, nada menos que o fenômeno... Kick-Ass. Captou a mensagem? Dirigido por Mike Binder, escrito e estrelado por Damon Wayans (sim, Michael Kyle em pessoa da série "Eu, A Patroa e As Crianças"), ao lado de David Alan Grier (parceiro de Wayans na série "In Living Color", inédita no Brasil). No elenco, nomes como Robin Givens (hoje no seriado "Riverdale", também baseado em quadrinhos) e, pasmem, Jason Alexsander (o eterno George da série "Seinfeld").


    >>> Curiosidade: 'Blankman' é a estreia no cinema do ator Greg Kinnear (o atribulado pai de família de "Pequena Miss Sunshine"). E mesmo que tivesse potencial para tal, não gerou nenhuma história em quadrinhos posteriormente, talvez por conta da baixa bilheteria. Mas Wayans tem muito orgulho do filme, uma vez que sempre foi fã de histórias em quadrinhos.

    3) Steel - O Homem De Aço ('Steel', 1997) - Também conhecido somente por "Shaq Aço" no Brasil - por conta do trabalho de marketing que tentava destacar mais o nome do astro principal (mas que no fim das contas inevitavelmente rimava com "fracasso") - o jogador de basquete Shaquille O'Neill -, o filme é ~"livremente inspirado" (e bota livre nisso) num personagem da DC Comics, do universo do Superman - criado por Louise Simonson e Jon Bogdanove durante a saga "A Morte do Superman". Mas pare por aí pois mudou muita coisa no filme - quase tudo, na verdade. E nem tem qualquer menção ao útlimo kryptoniano. Na trama, John Henry Irons é um projetista de armas para os militares. Quando um de seus projetos cai nas mãos das gangues de rua, ele resolve combater o crime usando peças de um ferro velho, transformando-se num verdadeiro ~"homem de aço". Escrito e dirigido por Kenneth Johnson (roteirista de series como "O Incrível Hulk", "V - A Batalha Final", "Missão: Alien". No elenco, nomes como Annabeth Gish (a Monica Reyes do seriado "Arquivo X"), Judd Nelson (que foi um dos integrantes do cult "Clube dos Cinco", hoje trabalhando mais com dublagem), além da participação de Richard Roundtree (ninguém menos que o Shaft em pessoa).


    >>> Curiosidade: a personagem Susan Sparks (Gish) é inspirada em Oráculo, alter-ego de Barbara Gordon (possivelmente não puderam utilizar por conta dos direitos dos filmes do Batman na época). Numa das cenas numa ferrovia, uma das cercas tem uma pixação "muito parecida" com o alfabeto alienígena mostrado na série "Missão: Alien". Johnson queria Wesley Snipes para o papel mas escalou Shaquille O'Neill porque esperava vender mais brinquedos inspirados no filme... O'Neill teve de fazer todas as suas cenas mais perigosas porque a produção não encontrou nenhum dublê com a mesma altura do astro. "Steel" é o primeiro filme de grande orçamento estrelado por um super-herói afrodescendente.

    4) Spawn: O Soldado do Inferno ('Spawn', 1997) - "Spawn" foi o segundo filme de grande orçamento estrelado por um super-herói afrodescendente - e, curiosamente, baseado num personagem da Image Comics, uma editora em ascensão. Na trama, um soldado mercenário é traído durante uma missão, sua alma vai parar no Inferno, faz um pacto com um demônio para se vingar mas retorna à vida muito tempo depois, num corpo deformado porém cheio de super-poderes, quando sua ex-esposa está casada com seu melhor amigo e há um plano para explodir a cidade onde moram por interesses políticos. Dirigido por Mark A. Z. Dippé com roteiro de Alan B. McElroy - baseado no gibi criado por Todd McFarlane -, o filme estreou com grande sucesso, ficando em segundo lugar de bilheteria no primeiro fim de semana (atrás apenas de "Força Aérea Um", estrelado por Harrison Ford). Estrelado por Michael Jai White, John Leguizamo (que estaria num papel importante em "Kick-Ass 2"), Martin Sheen, Theresa Randle, Nicol Williamson, D.B. Sweeney e Melinda Clarke, o filme teve muitos problemas de aceitação por conta de mudanças radicais no roteiro - principalmente por colocar um personagem claramente negro nos quadrinhos como um branco no filme - e por abusar do uso de efeitos especiais nada impressionantes, que mais pareciam saídos do game "Mortal Kombat" (a versão da época).

    >>> Curiosidade: Ninguém menos que Tim Burton era a escolha original para dirigir o filme, mas declinou depois dos problemas que passou após ter dirigido dois filmes do Batman. Já o papel de Al Simmons / Spawn foi oferecido para nomes como Wesley Snipes, Cuba Gooding Jr, Denzel Washington, Ving Rhames, LL Cool J e , claro, Will Smith. Edward Norton foi convidado para interpretar Terry Fitzgerald, melhor amigo de Al Simmons, mas recusou o papel (anos depois, acabou interpretando Dr. Bruce Banner / Hulk em "O Incrível Hulk").

    5) MIB - Homens de Preto ('Men in Black', 1997) - Baseado nos quadrinhos criados por Lowell Cunningham, publicados originalmente pela Malibu Comics e depois pela Marvel. Escrito e dirigido por Barry Sonnenfeld - que já havia dirigido "A Família Addams", também baseado em quadrinhos -, estrelado pela dupla Tommy Lee Jones e Will Smith, com participações de Linda Fiorentino (que depois participou do filme "Dogma", que tem muitas referências aos quadrinhos), Vincent D'Onofrio (que hoje vive o Rei do Crime no seriado "Demolidor"), Rip Torn e Tony Shalhoub. Na trama, uma organização secreta que monitora toda a atividade alienígena no Planeta Terra se descuida quando um civil presencia a ação de um de seus agentes - e estranhamente não pode ter sua mente apagada pelo neuralizador. O civil passa a ser treinado para trabalhar como agente e se envolve num grande plano de conspiração para dominação do planeta.

    >>> Curiosidade: Will Smith primeiro não acreditou que Steven Spielberg estava no telefone o convidando para coestrelar o filme - vale lembrar que ele vinha de uma carreira numa série de TV de sucesso mas de poucos filmes, tendo estrelado o blockbuster "Independence Day" apenas um ano antes. Depois, não queria aceitar o papel mas sua esposa Jada Pinkett-Smith (hoje no elenco da série "Gotham") o convenceu. Já Tommy Lee Jones só aceitou o papel após Spielberg PROMETER que melhoraria o roteiro pois, segundo Jones, não capturava o espírito dos quadrinhos originais. O diretor John Landis foi convidado para dirigir mas achou que a premissa era basicamente "Os Irmãos Cara de Pau com alienígenas". Desde o sucesso do filme, ele faz questão de repetir o quanto estava errado e como se arrepende de não ter dirigido - Tarantino foi outro que recusou a oferta para dirigir o filme.  J (personagem de Smith) é originalmente branco e louro nas histórias em quadrinhos. A escalação de Smith deveu-se à esposa de Sonnenfeld ser muito fã do seriado "Um Maluco no Pedaço", justificando que ele traria a jovialidade necessária ao filme. O papel de K foi oferecido a ninguém menos que Clint Eastwood mas ele se recusou - outro que recusou foi David Schwimmer (o eterno Ross do seriado 'Friends'). Já Linda Fiorentino ~"ganhou" o papel no filme numa partida de pôquer com Sonnenfeld - mas avisou: não faria cenas de nudez. O sucesso tanto de "Blade" como de "MIB" ajudou a Marvel a desenvolver o filme do Homem-Aranha, há anos com problemas entre estúdios - e também tornou viável o primeiro filme dos X-men. Terceiro grande filme protagonizado por um heroi afrodescendente.

    6) Blade - O Caçador de Vampiros ('Blade', 1998) - Primeiro filme de grande orçamento de um personagem da Marvel Comics. E quarto grande filme encabeçado por um super-herói afrodescendente. Dirigido por Stephen Norrington (que ainda dirigiria "A Liga Extraordinária", baseado nos quadrinhos de Alan Moore e Kevin O'Neill) e escrito por David S. Goyer (que escreveu os três filmes da franquia, além de dirigir o último, dentre muitos outros filmes baseados em quadrinhos). Estrelado por Wesley Snipes, Stephen Dorff, Kris Kristopherson (que esteve nos outros dois filmes da franquia), Donal Logue (o Harvey Bullock do seriado "Gotham") além da participação da musa pornô Traci Lords. Num mundo infestado por vampiros, Blade os caça enquanto busca uma cura para sua própria condição de vampiro. Ele é perigoso pois é o único que anda durante o dia. Após salvar uma doutora que foi mordida por um vampiro, com a ajuda de seu amigo e mentor Whistler, enfrenta o Diácono Frost, que pretende governar os clãs vampíricos e destruir toda a raça humana.

    >>> Curiosidade: Snipes foi escalado para o filme porque ele já estava em negociações para estrelar um futuro filme do (vejam só!) Pantera Negra - o estúdio queria Denzel Washington ou Laurence Fishburne para interpretar Blade mas Goyer sempre achou que Snipes era a escolha perfeita para o papel. Jet Li seria o vilão Diácono Frost mas preferiu fazer "Maquina Mortífera 4", que acabou sendo sua porta de entrada para fazer novos filmes nos Estados Unidos. David Fincher chegou a ser chamado para dirigir o filme mas declinou por conta de outros projetos. Morbius - outro vampiro da Marvel Comics - foi cogitado para aparecer numa futura continuação mas como está atrelado aos personagens do universo do Homem-Aranha, a ideia acabou descartada. Filmaram uma cena final alternativa onde Morbius estaria no telhado à espreita. Ao final da trilogia de filmes, o personagem ainda foi revisitado numa curta série de TV com apenas 12 episódios criada por David S. Goyer - roteirista dos filmes -, estrelada por Sticky Fingaz e com roteiros de Geoff Johns.

    7) Mistery Men (Idem, 1999) - Também conhecido no Brasil como "Quase Super-Heróis" ou "Heróis Muito Loucos". Único filme dirigido por Kinka Usher - baseado nos quadrinhos criados por Bob Burder - com roteiro de Neil Cuthbert (que também escreveu "A Volta do Monstro do Pântano", baseado no personagem da DC Comics). No elenco, nomes hoje estelares como Ben Stiller, William H. Macy, Geoffrey Rush, Hank Azaria, o músico Tom Waits, Janeane Garofalo, Greg Kinnear (olha ele aí de novo!) e... Kel Mitchell (sim, o eterno Kel do seriado humorístico "Kenan & Kel") - o elenco é numeroso mas como grupo todos tem tempo igual de protagonismo. Para botar ordem em Champion City, o super-herói Capitão Arraso resolve reunir super-talentos contra o vilão Casanova Frankenstein. Porém, encontrou apenas perdedores com super-poderes ou habilidades incomuns como o Irado, O Marajá, o Solta-Pum, a Jogadora de Boliche, o misterioso Esfinge e o Rapaz Invisível. Juntos, arrumam muitas confusões na sua Sessão da Tarde!

    >>> Curiosidade: o odiado diretor Michael Bay (da franquia "Transformers") aparece no filme como integrante de uma dupla de vilões. O elenco viva discutindo por conta de acusarem uns aos outros de estarem fora do tom da comédia - Stiller e Kinnear tiveram uma discussão acalorada no set. Após isso, Stiller tentou sair do filme... "Mistery Men" é ~"livremente adaptado" de uma história em quadrinhos obscura com heróis como Flaming Carrot ('Cenoura Flamejante'), dentre outros. Kel Mitchell é realmente fã de quadrinhos e, no filme, tem um poster colado em sua porta de Martha Washington, personagem de "Liberdade", minissérie em quadrinhos criada por Frank Miller e Dave Gibbons - e o cabelo louro de Mitchell no filme talvez seja em homenagem à personagem. Mitchell ainda canta "Who Are Those Mistery Men", rap que foi a canção-tema no clip oficial de divulgação do filme.

    8) Mulher-Gato ('Catwoman', 2004) - Quinto filme de grande orçamento com protagonista afordescendente. Estrelado por Halle Berry e Sharon Stone, dirigido pelo francês Jean-Christophe Comar (mais conhecido como "Pitof") com roteiro de John Brancato, Michael Ferris e John Rogers. Patience Phillips é uma sensível artista que trabalha como designer gráfica numa empresa de cosméticos. Quando ela descobre um segredo que sua empregadora esconde, acaba metida numa conspiração. Num lance místico, ela adquire super-força, velocidade, agilidade e sentidos de uma felina e decide enfrentar a corporação para... ah, sei lá, mil coisas, esse filme é horroroso!


    >>> Curiosidade: Tá com tempo? Então... Era para ser um filme estrelado por Michelle Pfeiffer com direção do próprio Tim Burton, reprisando a parceria de "Batman - O Retorno". Mas Pfeiffer reclamou horrores do traje da anti-heroína e não quis reprisar o papel se não o modificassem. Curiosamente, os produtores acharam que não haveria problema criar uma nova Mulher-Gato somente para o filme (com traje desenvolvido pelo desenhista de quadrinhos Jim Lee), mesmo que não se passasse em Gotham City e não tivesse qualquer ligação com Batman e outros personagens correlatos. O primeiro trailer foi retirado do ar rapidamente após as reações negativas pela internet. Um novo trailer logo foi lançado, porém sem nenhum diálogo. Só para ter uma ideia da ruindade da coisa: o filme havia sido planejado de ser lançado em IMAX (Deus, por quê?!) mas, em cima da hora, os executivos da Warner Bros decidiram cancelar as sessões no formato porque os efeitos especiais não corresponderiam ao formato. As atrizes Ashley Judd e Frances McDormand chegaram a conversar para estrelar o filme mas declinaram. O roteiro passou na mão de nada menos que 14 pessoas, cuja versão final tem três roteiristas atrelados - e nenhum deles aparentemente sabiam o que estavam fazendo... Sharon Stone estar no filme não é nenhuma coincidência, uma vez que ela foi cogitada para o papel da vilã Hera Venenosa em "Batman & Robin". E pra quem estranhou que a Mulher-Gato seja afrodescendente neste filme, Frank Miller e David Mazzuchelli ~"dão a entender" que Selina Kyle - a Mulher-Gato dos quadrinhos - seria negra na graphic novel "Batman - Ano Um" - que mostra o primeiro ano de Bruce Wayne como o herói de Gotham. Berry havia feito parte do elenco da franquia dos X-men e sempre disse que aceitou filmar Mulher-Gato para ter o protagonismo que lhe foi negado nos filmes dos mutantes - que Ororo Tempestade, sua personagem, originalmente tinha nos quadrinhos. Halle Berry é uma das poucas atrizes que já ganhou um Oscar e uma Framboesa de Ouro (premiação dos piores do cinema - no caso por sua performance em "Mulher-Gato"). Durante seu discurso na premiação, que ela fez questão de ir pessoalmente receber, ela disse "quero agradecer à Warner Bros, por me fazer participar desta desagradável m&rd@ de filme!". Ah, sim: É o ÚNICO filme de grande orçamento estrelado por uma super-heroína afrodescendente (e o PRIMEIRO estrelado por uma super-heroína, uma vez que ela tem super-poderes, diferentes de sua contraparte nos quadrinhos) - seria um baita motivo de orgulho se o filme fosse, pelo menos, bacana...

    9) Hancock (Idem, 2008) - Dirigido por Peter Berg com roteiro de Vincent Ngo e Vince Gilligan (sim, o criador da aclamada série "Breaking Bad"), estrelado por Will Smith (que depois ainda seria o anti-heroi Pistoleiro no filme "Esquadrão Suicida"), Charlize Theron (que esteve recentemente em "Atômica", também baseado em quadrinhos), Jason Bateman, com participação de Johnny Galecki (o Leonard de "The Big Bang Theory"). Na trama, John Hancock é um super-ser alcoólatra que vaga como um odiado mendigo em Los Angeles. Embora ele salve muitas vidas, também acaba destruindo muitas propriedades durante o processo. Até o dia em que ele salva a vida de um publicitário, que resolve fazer uma campanha para melhorar o visual e as maneiras para que Hancock se torne um verdadeiro super-herói. E é aí que começa o problema...


    >>> Curiosidade: O roteiro ficou rodando pelas produtoras de Hollywood por quase uma década, cujo protagonista foi oferecido a nomes como Leonardo DiCaprio, George Clooney, Ben Affleck e Matt Damon. Antes de Smith, o comediante Dave Chapelle foi seriamente considerado para o papel. Há quem diga que Smith só aceitou fazer o filme pois queria ser um SUPER-heroi no cinema de qualquer maneira, uma vez que o projeto para estrelar o filme do Superman - sim, seria escrito por J. J. Abrams e se passaria grande parte em Krypton, com Smith no papel de Kal-El (foi antes da produção de "Superman - O Retorno", de Bryan Singer) - foi rejeitado pelo estúdio. Quando Smith aceitou o papel, "Hancock" finalmente começou sua produção e foi um grande sucesso de bilheteria - mas não de crítica. No filme, há uma rápida aparição do roteirista Akiva Goldsman e do diretor Michael Mann - que foi cogitado para dirigir o filme mas se recusou. Apesar de não ser um filme oficialmente baseado numa história em quadrinhos, a história lembra MUITO uma das origens do super-herói Gavião Negro, da DC Comics - a Sony Pictures chegou a lançar um material promocional diferencial do filme num site, emulando capas de gibis do Hancock, ilustrada por grandes artistas dos quadrinhos como Neal Adams, Jock, Bill Sienkiewicz e Frank Quitely (porém nunca foi lançada a revista com as histórias). E ainda é o sexto filme de grande orçamento protagonizado por um super-herói afrodescendente - dizem que Will Smith estaria pensando numa continuação, que teria Beyoncé no elenco...

    10) Quarteto Fantástico ('Fantastic Four', 2015) - Uma reimaginação do primeiro grupo de super-heróis da Marvel Comics. Dirigido por Josh Trank, com roteiro do próprio Trank, Jeremy Slater e Simon Kinberg. Estrelado por Miles Teller, Michael B. Jordan, Kate Mara , Jamie Bell, Toby Kebbell e do saudoso Reg E. Cathey. Um grupo de estudantes descobrem uma dimensão paralela e, ao voltarem de uma visita, desenvolvem poderes inimagináveis.

    >>> Curiosidade: Ainda tá com tempo? Senta que lá vem história... O filme teve diversos problemas de produção e execução. A princípio, era pra ser um reboot sem muita importância do super-grupo que já havia protagonizado dois filmes (além de um terceiro que nunca foi lançado oficialmente), somente para que os direitos sobre os personagens não voltassem para a Marvel Studios (o último filme do Quarteto Fantástico havia sido lançado há dez anos, se não lançassem em 2015, os direitos voltavam automaticamente aos proprietários da marca). Quando contrataram o diretor Josh Trank, ele exigiu algumas contratações de elenco e teve de aturar outras. Porém, durante as filmagens, desentendeu-se verbalmente com parte dos atores e atrizes - DIZEM que Trank quase partiu às vias de fato com Miles Teller e gritou inúmeras vezes com Kate Mara no set. Quando anunciaram o elenco, houve reclamações dos fãs na internet de que o personagem Johnny Storm (o herói Tocha Humana, interpretado no filme por Michael B. Jordan) não era negro nos quadrinhos e que isso era ~"errado" - e começou uma campanha de difamação ao filme (sem o filme nem estar pronto) - ou seja, esse é o PRIMEIRO filme de grande orçamento alvo de forte preconceito racial a um de seus protagonistas (no filme, era explicado que Storm era negro como seu pai e Susan era sua irmã adotiva). Além disso, seu roteiro inicial era muito mais sombrio e violento, o que acarretou no veto total do estúdio, que contatou Simon Kinberg para reescrever, mudando tudo o que estava planejado - a história teria os vilões Toupeira, Doutor Destino e... Galactus, além de muitos personagens vindos dos quadrinhos e das animações, como o robô H.E.R.B.I.E.. Após o término das filmagens, foi anunciado que "Quarteto Fantástico" passaria por severas refilmagens - e há quem diga que não foi Trank quem comandou essa parte (pra se ter uma ideia, tem cenas no filme onde se percebe que a cor e o tamanho do cabelo de Kate Mara está bem diferente, sem motivo ou explicação). O primeiro corte do filme entregue por Trank tinha duas horas e vinte minutos de duração - mas o que foi apresentado nos cinemas tinha uma hora e quarenta minutos (revelando um corte de aproximadamente quarenta minutos de filme). Ainda houve um prejuízo de mais de 80 mil dólares por conta de cachorros de estimação do próprio Trank que destruíram parte de um trailer durante as filmagens. Entretanto, quando lançaram o primeiro trailer, um pouco do ódio na internet se apaziguou e ainda havia esperança de que poderia ser um bom filme no final das contas. Mas faltando bem pouco para o lançamento do filme, Trank disse num tuíte que "Há um ano, eu tinha uma versão fantástica disso. E o filme receberia grandes reviews. Vocês provavelmente nunca verão isso. Essa é a dura realidade". Para piorar, Stan Lee (roteirista e cocriador de muitos herois da Marvel Comics) recusou-se a fazer sua famosa ponta no filme - o que deu a entender que ele não aprovaria o que estavam fazendo. Trank seria o diretor de um filme do mercenário Boba Fett (o projeto era chamado de "Fett / Solo"), derivado da franquia "Star Wars" mas desvinculou-se do projeto alegando cansaço após quatro anos desenvolvendo o filme do Quarteto Fantástico, onde passou por muita pressão - há quem diga que Simon Kinberg, que desenvolve os filmes "Star Wars" para a Disney, o demitiu por conta dos problemas no set de Quarteto Fantástico. Mesmo com todos os problemas e a má recepção por grande parte do público e crítica, Kate Mara, Miles Teller e Michael B. Jordan declararam que estariam numa continuação pois havia potencial nos personagens.

    Kal J. Moon espera que mais e melhores filmes com heróis e heroínas afrodescendentes sejam realizados - mas, principalmente, que existam melhores filmes como um todo, sem exceção.
    • Blogger Comments
    • Facebook Comments

    6 comentários:

    1. Melhor parte: "...ela adquire super-força, velocidade, agilidade e sentidos de uma felina e decide enfrentar a corporação para... ah, sei lá, mil coisas, esse filme é horroroso!"
      kkkkkkkkkkkkkkkk

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Eu tava fazendo um esforço tremendo para resumir o filme mas desisti. A vida é curta! :D

        Excluir
    2. Pessoal eu assistia um seriado na Globo em 1994, MANTIS se tratava de um medico rico e gentil, Miles Hawkins, é baleado na espinha durante um tumulto, deixando-o paralisado da cintura para baixo.Depois de perder um processo contra um policial, ele é responsável, ele usa os recursos de sua empresa para inventar um exoesqueleto motorizado que não só o capacita a andar, mas dá-lhe habilidades super-humanas no processo. Usando uma vasta gama de tecnologia, incluindo um grande laboratório subaquático e um hovercraft chamado Crysalid para voar pela cidade, ele assume a personalidade do vigilante "MANTIS" (Sistema de Intercepção de Transmissor Neuro Mecanicamente Aumentado). Produzido por Sam Raimi e estrelado por Carl Lumbly . Era bem legal para época

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. "M.A.N.T.I.S." ia entrar na lista (eu curtia muito o seriado) mas preferimos dar ênfase aos filmes lançados no cinema - sim, todos os filmes de nossa lista foram lançados no cinema. Mas deve rolar, em breve, uma lista sobre os super-heróis negros protagonistas na TV...

        Excluir
    3. Em tempo, ficou muito legal a matéria !!

      ResponderExcluir

    Item Reviewed: [LISTAS PP] | Super filmes protagonizados por afrodescendentes, por Kal J. Moon Rating: 5 Reviewed By: Kal J. Moon
    Scroll to Top